30 de janeiro: Dia do Quadrinho Nacional


No dia 30 de janeiro é comemorado o Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos, conhecidas também como HQ, uma popular e divertida forma de leitura que se popularizou no Brasil graças à histórias como raio negro, capitão 7 e judoka (hoje esquecidos pela maioria do publico),menino Maluquinho e Turma da Mônica e tiras reproduzidas em jornais, como Piratas do Tietê, Níquel Naúsea e Chiclete com Banana... 

A historia das historias em quadrinhos no Brasil começa no século 19, quando passou a circular no ano de 1837 um desenho em formato de charge, de autoria de Manuel de Araujo Porto-Alegre, vendido em papel avulso. O cartunista Angelo Agostini é considerado o precursor das historias em quadrinhos no Brasil, pois criou  em 1869 As Aventuras de Nhô Quim ou impressões de uma viagem à corte, e também o responsável por introduzir os quadrinhos em publicações jornalísticas. 

A revista O Tico-Tico, lançada no dia 11 de outubro de 1905, é considerada a primeira revista em quadrinhos do Brasil. Concebida pelo desenhista Renato de Castro com ilustrações de Angelo Agostini e participação de diversos artistas, como J. Carlos, Max Yantok e Alfredo Storni, o formato foi baseado na revista infantil francesa La Semaine de Suzette, com alterações nos nomes dos personagens originais e tendo Chiquinho como a figura mais popular.

As historias em quadrinhos da Disney passaram a ser publicadas no país apenas na década de 50, e para enfrentar a concorrência dos heróis americanos foram criadas versões brasileiras desses personagens, como Capitão 7 e Raio Negro, além de personagens nacionais de novelas radiofônicas, como Jerônimo – o herói do Sertão.

De pé: Henrique Farias, Watson Portela, Primaggio Mantovi, João Baldisseri Jr e Eugenio Colonnese. Em baixo: Julio Shimamotto, Gustavo Machado, Antonio Gobbo e Rodolfo Zalla. Na frente: Bira Dantas. (1º Encontro Nacional de Histórias em Quadrinhos, Araxá/MG - 1988 )

Muito antes das comicons da vida, havia grupos de pessoas pelo Brasil fazendo encontros nacionais de quadrinhos, mas o primeiro registrado foi o de 1988, nele estavam as feras acima dos quadrinhos nacional, antes de existir essa coisa chamada internet as pessoas apenas se comunicavam via telefone e carta, a maioria dos nerds se sentia um alien pois era difícil saber se outra pessoa era nerd também.

Outro grande boom veio com capitão Ninja e Holy Avengers, especialmente essa ultima trouxe um novo folego para os quadrinhos nacionais e quase se tornou uma animação, os quadrinhos nacionais tem um enorme potencial porem ainda falta uma coisa chamada distribuição.

Apesar dos quadrinhos americanos também terem esse problema ao chegar ao nosso publico (cuja maioria das capitais quase não chega e no interior quase desaparece), os quadrinhos nacionais sofrem mais ainda, pois sem uma distribuição e legislação nacional adequada, acabam ficando reclusos em seus estados de origem, vamos torcer para que um dia isso mude.



Confira Também...

0 comentários