Conto: Na Floresta Escura - Capítulo 5

Capítulo 5 - Guiados na Escuridão

A jovem, tentadora, os guiou para longe do lago. Novamente estavam todos em meio a penumbra. Ela prometeu que os levaria até a saída. Ser guiado até a salvação por uma linda jovem com pouco mais que um lençol cobrindo seu corpo era com certeza algo que agradava a todos. Mas algumas perguntas permaneciam na cabeça de cada um deles. Como ela vive na floresta, como chegou ali, e mais perturbadora, se ela sabia onde ficava a saída, por que não foi embora? Continuaram caminhando. Ariosto, embora casado e pai de duas crianças, tentava persuadir a ruiva a passar alguns momentos com ele longe de seus amigos. Mas a atenção dela estava em Vaughan. O olhar dela mergulhava dentro de sua alma. Chegava ao ponto dele querer largar sua espada e agarrá-la. Viveria para sempre ali com ela, sem desejar mais nada da vida. Sua esposa, se realmente o amasse, teria que aceitar a ruiva cmo uma segunda esposa. Se não aceitasse, tudo bem. Todos os quatro estavam encantados com sua guia e prontos para largar tudo por ela. Ficaram felizes por terem acabado naquele lugar, perdidos.

Caminharam até encontrar uma área onde as árvores eram muito afastadas umas das outras. AInda estava e scuro, já que a altura delas ainda impedia o sol de entrar. Havia uma caverna. 

-Chegamos. - a voz suave como uma melodia - Ali fica uma das saídas. Chegarão a uma estrada após a caverna.
-Obrigado. Você nos salvou e, assim, salvará o noss rei também. - Disse Vaughan.
-Se quiser vir conosco, terá minha casa de portas abertas para recebê-la. - falou Ariosto, iludido.
-Vão logo, ou seu rei estará perdido. Eu fico, pois aqui se tornou meu lar. - respondeu a jovem.

Vaughan não queria ir. Queria agarrar a jovem. Possuí-la como possuiu tantas em suas jornadas. Só se mecheu quando ela os deixou, indo para as árvores e desaparecendo.

-É... esta era uma bela jovem. Eu faria dela uma mulher feliz. Longe desta floresta. - Ariosto falou, decepcionado.
-Amigos, a luz do Sol nos espera  logo apos aquela caverna. - Lamar tentava animar seus amigos. 
-Sim. Vamos. Nossa missão ainda está em seu início. Precisamos voltar para resgatar o rei. - Vaughan deu o primeiro passo em direção à caverna. Era escura, mais que a floresta, obviamente.Andaram alguns metros e ouviram novamente a voz da jovem, vinda de fora da caverna. Agora não parecia doce e melódica. Era como uma fera despertando. Não entenderam o que ela gritou, mas reconheceram o som seguinte.

Um rosnado se fez ouvir pela caverna. Não sabiam se era apenas o eco, mas o som era realmente alto. Não conheciam nenhum animal capaz de fazer um som tão alto e num tom tão agressivo. Sem falar uma única palavra, seus rostos se fizeram apavorados e seus pés se moveram rápida e involuntáriamente de volta à entrada. Ouviram algo parecido com o caminhar de um grande cachorro, mas talvez do tamanho de um elefante. Chegaram ao lado de fora. Algo os cercou, impedindo-os de chegar às árvores. Era realmente tão grande quanto imaginaram. Era uma rapoza, imensa. Seus olhos, cheios de fúria, se mantinham fixos nos quatro bravos. Sem dúvida nenhuma ela os queria devorar. E sem dúvida nenhuma, foram enganados pela bela e ruiva jovem. Nada mnais a fazer do que lutar. Suas espadas estavam firmes e suas mãos. E eles sabiam que assim teria que ser até o final da luta.
  
Continua...

Confira Também...

0 comentários