E o Brasileiro Salvou o Mundo!


Quem conhece o projeto MSP Graphic sabe do carinho com o qual ele é feito. Sabe da genialidade por trás das mentes envolvidas (um abraço ao querido Sidney Gusman, um dos nomes mais relevantes para os quadrinhos no Brasil) e sabe do talento que foi aplicado para que as ideias virassem arte. Eu li todas da "primeira fase". Doei para uma biblioteca local (quando eu trabalhava na Secretaria de Cultura) porque simplesmente não podia deixar uma coisa tão legal só comigo. Eu sou ciumento demais com meus mangás dos Cavaleiros do Zodíaco para fazer o mesmo, mas hoje, descobri que também sou muito ciumento com as HQs da Graphic MSP.  Se você leu Astrounauta - Magnetar, sabe do que estou falando. Isso é nada menos que uma revolução nos Quadrinhos nacionais.



Astronauta - Singularidade pega um dos meus conceitos científicos preferidos (o buraco negro é tão denso, com uma gravidade tão inacreditavelmente forte, que nem mesmo a luz, a coisa mais rápida da existência, se equiparando só talvez ao pensamento,  consegue escapar. Isso abre portas para uma infinidade de possibilidades) para plano de fundo da nova aventura do personagem de Maurício de Sousa. O roteiro é extremamente bem desenvolvido, cheio de elementos clássicos, com personagens bem desenvolvidos (alguns nem tanto, mas cumprem seu papel para a história, como o Nick Fury da BRASA. Eu queria ver esse cara em ação, dando pipoco no espaço!). Astronauta Pereira (filho de Astrogildo e.. esqueci agora) se mostra de personalidade forte, enciumado com sua nave, solitário e apegado à sua amada Ritinha, o que não podia ser mostrado em sua aventura anterior no magnetar (todos somos gentis quando estamos sozinhos), já que você só pode mostrar sua relação com as outras pessoas quando HÁ outras pessoas. A motivação do vilão, apesar de parecer familiar, é extremamente plausível dentro do universo proposto. A relação entre os personagens está muito, muito bem explorada.

A arte está mais bonita, mais trabalhada. os cenários tem pontos meio "precários", com fios expostos e peças que parecem por terminar. Lembra muito algumas coisas da trilogia original e Star Wars, mas com um ar estranhamente familiar de quintal de casa. A BRASA é um lugar onde eu gostaria de trabalhar! A anatomia parece ter dado um up, parecendo mais profissional (não me entenda mal, Danilo! Não que antes não o fosse, mas agora está top!). As cores da Cris Peters continuam impressionando. cara, como ela manda bem! Se eu falar mais, vou dar spoilers. O que eu posso dizer é que a narrativa é tão boa que eu senti falta de trilha sonora no final, após o último quadro, e os créditos subindo em uma tela preta.


Mais importante do que ser uma aventura divertida, Astrounauta (e as outras Graphic MSP) mostram o brasileiro não como de costume, em uma cartilha para turista, onde, só por ser brasileiro, o quadrinho tem que mostrar um monte de pontos turísticos ("Oh, não, ele foi para o Pão de Açúcar!" ). Ele é uma aventura universal, uma quebra de paradigmas dentro do cenário de quadrinhos nacionais. E no final, após anos vendo gringo ser herói, o brasileiro salvou o mundo...


Confira Também...

0 comentários