Conto: Na Floresta Escura - Capítulo 11

Capítulo 11 - Em Terreno Inimigo

Desceram do enorme muro e se esconderam atrás de enormes plantas de folhas largas. A atenção estava voltada toda para os portões e isso os ajudaria a chegar até seu rei. Haviam muitas plantas iguais as que lhes escondiam, árvores maiores e algumas casas bem rústicas. Bem mais à frente ficava a enorme casa onde provavelmente estaria seu líder. Com espadas em punho, andaram abaixados com muita velocidade e pouco som. Suas pernas e braços estavam cansados após tanto tempo perdidos naquele local. Os habitantes daquele local  se concentravam mais e mais perto dos portões e, assim, eles podiam passar por entre muitos locais de pouca visibilidade. Estavam se aproximando da casa maior. A cada passo. Vaughan disse:

-Em breve, amigos, seremos heróis. Logo salvaremos nosso rei e poderemos estar de volta à nossas casas com nossas mulheres.

-E espero que com grande recompensa em ouro. Poderíamos simplesmente ter fugido e dado o rei como morto. - falou Wallace.

-Ouro. Sim, seria uma boa aquisição. Encher nossas salas com o mais puro ouro do Norte! Ha!Ha! Ha! - concordou Ariosto.

-Amigos, salvemos o rei e depois veremos o que será feito. Ele há de ser justo conosco. - disse mais uma vez Vaughan.

Ouviu-se então um grito na língua dos habitantes da floresta. Imediatamente todos se mantiveram em alerta - Vaughan e os outros bravos mas também seus prováveis futuros adversários, todos naquele lugar. Continuaram se esgueirando por entre plantas, árvores e casas até que entre duas árvores à frente, descansando como um soldado após um longo dia de trabalho, havia um monstro como aqueles que haviam encontrado anteriormente. Grande, pele cinzenta e dura e aparência amedrontadora. Não estava dormindo, apenas ainda não os tinha visto, por isso toda a cautela deveria ser levada ao extremo. Vaughan sinalizou que deveriam recuar um pouco e seguir dando uma volta. Andaram devagar e em silêncio procurando por onde fugir. Ao lado das árvores havia uma saída, meio escondida entre duas grandes árvores. Caminharam, recuando lentamente sem dar as costas ao monstro. Andaram pela passagem e se depararam com uma clareira, onde era possível ver o monstro e ser visto por ele. Estavam perto do salão principal. Só viram uma solução.

-Vaughan, sigam. Eu vou matar o monstro. - disse Ariosto inesperadamente.

Vaughan olhou para seu amigo e perguntou:

-E como pretende fazer isso? Lembra do trabalho que tivemos para eliminar o outro?

-Vou pegá-lo distraído. Confiem em mim. Vão em frente. - respondeu Ariosto.

Todos concordaram, embora soubessem que talvez ele estivesse caminhando para o suicídio. Mas confiavam no bravo guerreiro. Já havia realizado outras façanhas, lutado contra elefantes de guerra e feras de todo o mundo. Assim, enquanto o bravo ia de encontro ao monstro, os quatro se reparavam para ir em frente em momento oportuno.

Ariosto caminhou novamente pela passagem até encarar o monstro, ainda relaxado. Puxou sua espada, fiel companheira. Se aproximou lentamente da criatura. Podia ouvir sua respiração sinistra. Se preparou para atacá-lo. Ouviu passos à esquerda. tentou se esconder, mas era tarde demais. Havia sido descoberto por um dos homens da floresta.

Continua...

Confira Também...

0 comentários