75 anos de Flash - Correndo Através do Tempo

Em 1940 Gardner Fox e Harry Lampert criaram uma lenda, que assim como seus antecessores da era de Ouro (Superman e Batman) e seus sucessores (Mulher Maravilha, Capitão América), se eternizaram no inconsciente coletivo de milhares de pessoas ao longo dos anos. Como não se familiarizar com o cara que podia correr mais rápido que qualquer um? Estar no lugar que desejasse ? Correr sobre a água, numa espécie de milagre? Subir e atravessar paredes?



Modernizado ao longo de anos, ele é mais de um: Jay Garrick/Joel Ciclone (1940-1956);  Barry Allen (1956-1986); Wally West, sobrinho de Barry (1986-2006); e Bart Allen, neto de Barry (2006-2007). Quatro heróis que se consagraram ao longo de todas as eras dos quadrinhos. Popular durante a época da 2 ª Guerra (onde os quadrinhos tiveram no auge), teve dificuldade para se manter na década de 50 (antecedendo o boom criativo da Marvel). Em 1956 ele se tornou um marco do fim da Era de Ouro e início da Era de Prata  quando Jay Garrick foi substituído por Barry Allen,  numa decisão do editor Julius Schwartz o novo personagem foi criado por Robert Kanigher e Carmine Infantino. Não por menos o herói está no panteão da DC integrando a Liga da Justiça Original que antecedeu os Vingadores da rival Marvel em 1960. O sucesso do personagem (com teor mais cômico no grupo) foi catapultado na série "Super Amigos" dos anos 70, e ecoou nas demais animações como na bem sucedida Liga da Justiça sem Limites.



O Flash também atingiu outros feitos, foi um dos primeiros personagens populares dos quadrinhos a casar, fato que ocorreu em 1966 (o Homem Aranha por exemplo só casou-se em 1987), além disso iniciou o tão explorado conceito de Multiverso. Em 1963 na história "Flash de Dois Mundos"  quando Barry Allen através da força de aceleração (uma força existente na terra tal qual a gravidade) encontra diversos heróis da era de Ouro, incluindo o Flash Original. O tema foi tão desgastado pela própria DC (aplicando a criação da Terra 2) que anos mais tarde a editora criou a maxissérie "Crise nas Infinitas Terras", para organizar sua cronologia. E lá estava o herói novamente, o Flash é o personagem central da trama, capturado pelo Antimonitor ele precisa correr mais rápido que a velocidade da luz e impedir a destruição da realidade. O desfecho foi um dos mais impactantes marcos dos quadrinhos, a morte desse personagem tão emblemático.


Não é difícil imaginar que sua imagem seria aproveitada para fora da mídia original, e o Flash que hoje tem uma série pela CW (a mais assistida do canal), foi uma das apostas da DC em 1990 pela CBS. Com episódios escritos por Howard Chaykin um veterano dos quadrinhos (controverso até), mostrando Barry como legista forense. Coincidências ou não, John Wesley Ship, o Barry Allen da série de 90, hoje faz o papel do pai do Barry em The Flash (multiversos, multiversos... até aqui?). Em Smalville Bart Allen fez ponta como um velocista adolescente.  Com o apelo para a volta de Barry Allen, a DC aproveitou para obviamente usar a oportunidade e reciclar as ideias iniciadas em "Crises" e assim criou a maxisserie Flashpoint que antecedeu a criação da linha editorial "Novos 52".


O Flash ainda tem uma galeria icônica de vilões, que mesmo não tão difundida quanto de outros medalhões são ainda assim lembrada pela maioria dos fãs mais tradicionais de quadrinhos. Destaque para: Capitão Frio (Showcase #8, 1959); Mestre dos Espelhos (Flash #.105, 1959); Gorila Grodd (edição 106, 1959); Capitão Bumerangue (edição 117, 1960) e Professor Zoom ou Flash Reverso (edição 139, 1963); E claro tudo isso tem registro no famoso Museu do herói em Central City.


Atualmente Barry Allen foi efetivado novamente como Flash (na estratégia dos Novos 52) e com os anúncios da linha de filmes da DC, a esperança é vê-lo em 2017 no primeiro longa da Liga da Justiça. E no ano seguinte em 2018, acompanhar o herói em seu filme solo. A DC preparou para as comemorações dos 75 anos dessa lenda dos quadrinhos, um vídeo especial que pode ser visto abaixo. Além de uma edição (que espero que chegue ao Brasil) com título 'Uma celebração de 75 anos' mostrando em 480 paginas as principais histórias do personagem O PANINI PUBLICA ISSO!!! Nada mais justo do que essa homenagem a um dos nossos maiores heróis... que venham mais 75 anos...


Outros especiais.

Confira Também...

0 comentários