A arte Liefeldiana

O Sr. Renan Ishin indicou o caminho das pedras, e a equipe HQFan seguiu a dica. Hora de falar do Mestre, e não é do Sábio Mestre... É do Mestre Liefeld. É inegável que o homem virou lenda ao fazer desenhos pouco convencionais e sem nenhuma noção de anatomia.

O que você deve saber de Liefeld? - é um dos fundadores da Image Comics. Criador do Cable e Deadpool. Ao surgir nos quadrinhos no fim da década de 80 (desenhando Rapina e Columba)  foi considerado um dos artistas mais promissores da sua geração (no texto do encadernado da Abril consta isso) na esteira de Jim Lee, Marc Silvestri e etc..


Tendo desenhado os principais personagens de DC e Marvel, Liefeld se tornou mesmo foi controverso ao longo dos anos com desenhos que vão de ingênuos a absurdo. Chegou o ponto de um fã em uma convenção de quadrinhos dar um exemplar de How to Draw Comics The Marvel (como desenhar quadrinhos Marvel) para o mestre e pedir retratação pelo trabalho horroroso em Heróis Renascem - e se isso é pouco o cara deixou dedicatória e filmou. A mensagem na integra :


  Rob,


      Eu sei que você não está disposto a pedir desculpas agora. Este manual irá ajudá-lo em você futuros trabalhos. Por favor, estude cuidadosamente, e consulte-o antes de iniciar outro quadrinho. Se você ainda deseja pedir desculpas por "Heróis Renascem", você pode fazê-lo por e-mail no YellowHatGuy@gmail.com.


        Vamos fazer as coisas direito.

                                                                 Atenciosamente,

                                                                                     Ryan Coons
A reação do Mestre Liefeld você confere abaixo:


Parece que o fim da história foi um aceno com o dedo médio estendido verticalmente em relação aos demais. Agora terá fundamento a atitude do Sr. Ryan Coons? Vejamos:




Se notarmos o primeiro trabalho de Rob Liefeld, a minissérie Rapina e Columba de 88, o estilo de desenho é bem mais profissional seguindo a linha de trabalhos tradicionais das grandes editoras. Apesar de alguns indícios do soberbo poder de criação do mestre surgirem, é quase como ver outro desenhista nessas edições. Notem nas imagens acima que uma das grandes dificuldades posteriores de Liefeld,  o desenho de mãos, (ele esconde elas através de recursos de corte e ângulo na maioria dos desenhos), não é tão evidente.  Outra diferença é o exagero de músculos dos personagens, marca registrada dele ao passar dos anos, que aqui conforme as imagens 1 e 2 estão sob controle. Todavia parece que ele se 'largou' com os anos e teve mudanças fundamentais em sua arte, ou os arte-finalistas desistiram de cobrir erros. Veja agora a série Rapina e Columba nas mãos do Mestre desenhada em 2011:



Os personagens ficam sem movimento e de longe lembram o primeiro trabalho do artista em composição, forma e dinâmica. Mesmo em Pin Up como na página abaixo com uma pose que teoricamente nas mãos de Liefeld teriam tudo para se tornam um desastre, o trabalho mesmo que não perfeito, está longe do que o artista vem fazendo nos últimos anos.


Voltando ao assunto mãos, esse tipo de desenho também é muito diferente daquilo que o artista apresenta hoje. Atualmente na maioria de seus desenhos as mãos estão fechadas ou tapadas por uma arma/espada como se o desenhista não soubesse desenhar dedos. Pois veja o comparativo no 1º trabalho e em um trabalho posterior :




Resumão da ópera: Ele já foi melhor e se seguisse essa linha talvez não teria se tornado o desenhista mais perseguidos dos quadrinhos. Atualmente é inegável o fato de que o cara se lançou nas cordas e que merecidamente é alvo de todo tipo de chacota dos fãs. Salve o Mestre... fiquem com sua galeria honrosa.


 



Confira Também...

0 comentários