A Era de Ultron e como a Marvel cada vez mais se aproxima dos Quadrinhos


Fui ver A Era de Ultron com expectativas até que bastante altas. Mas não deixei o monstro da expectativa me levar pra dentro do cinema. E se você for esperando um épico sombrio e cheio de coisas mais sérias a lá DC, volte 3 casas e espere abaixar esse seu hype. O filme continua sendo feito pela Marvel e mesmo que ele tenha um tom mais sério, não é de longe um Soldado Invernal aonde o tom é mais fechado do que os outros filmes. 


O Filme é um compilado de consequências de seus filmes anteriores, como esperávamos. Infelizmente a maluquice de Tony em Homem de Ferro 3 não passou (esquece esse filme, Marvel) e toda a sua ideia de um mundo seguro e sem problemas é o que leva a ele criar o Ultron. E com isso, o personagem acaba tendo um pouco da personalidade do seu criador. O Ultron é articulado, amedronta mas também faz piadinhas. Tem gente que não curtiu o Ultron desse jeito, mas eu entendo a situação dele. Afinal, é o James Spader. Se você já viu The Office, sabe o do que eu tô falando.


Pietro e Wanda são boas adições ao Grupo dos Vingadores. Apesar do Mercúrio da Marvel ser um pouco inferior em sua grandeza ao Mercúrio da Fox, ele ainda assim consegue ser efeitos de velocidade bem mais práticos e até em certo ponto menos overpower do que os do Mercúrio da Fox. Wanda dispensa comentários, até por que seus poderes funcionam muito bem na tela. Também gosto do fato deles não serem chamados de Inumanos durante o filme, e sim de Aprimorados. 


A relação Hulk e Viúva Negra é bastante explorada nesse filme, assim como o Gavião Arqueiro. A Marvel tenta dosar e dar mais destaque aos personagens que acabaram ficando apagados no primeiro filme, sem tirar a importância dos outros. Porém, a relação entre Hulk e Viúva Negra é um ponto fortíssimo desse filme, mostrando um pouco mais da faceta mais humana de Bruce Banner e da própria Natasha Romanoff. 


Uma coisa que eu não gostei muito foi a motivação ao Thor ir até a caverna e como ele descobre algumas verdades sobre o Universo e tudo mais, tudo por causa de um mindgames meio bobo. Ainda assim, acho que isso é um ponto bem fraco do filme e uma quebra de roteiro só pra explicar UMA parada que só vai fazer sentido pra Thor: Ragnarök e Vingadores 3. Pro filme mesmo, fica como somente adições ao Universo e explicações para a chegada de outros personagens. 


MANO, O VISÃO! PUTA QUE PARIU O VISÃO! Sinceramente, uma das melhores coisas do filme é ele. Entendo quem defenda que o Visão deveria entrar como fator surpresa do filme, mas gente, acreditem. Do que aparece dele, não é nem 5% do que acontece no filme. Melhor personagem. É sério. Infelizmente falar dele é praticamente dar spoiler do ato final do filme (e eu tô tentando ser mais gente boa quanto a spoiler).


Pra mim, o filme serve como uma preparação para Vingadores 3 e nada mais do que isso mesmo. Ele consegue ser MUITO bem dirigido, com a batalha final contra Ultron sendo uma das coisas mais lindas que eu já vi no cinema de Super-Herois. É difícil ver a Marvel errar a mão em Vingadores, e nesse filme não foi diferente. A Marvel tem cada vez mais se aproximado da estética de quadrinhos do que ficar se repetindo e tentando transformar tudo em cinza e gótico. (Abraços, DC.)

O filme é melhor que seu antecessor, mas ainda não é o melhor filme da Marvel, nem como entretenimento (Guardiões possui esse pódio) e nem como cinema mesmo. Mas isso não significa que o filme é ruim. Ele ainda é grandioso e muito bom de se ver no cinema. É com toda a honestidade, um 8,9/10. 

Confira Também...

0 comentários