+18

Resenha: Mad Max 4, por Polvo Aranha


"Eu não sei quem é mais insano: eu ou esse filme"

Depois de 30 anos desde a Além da Cúpula do Trovão, George Miller (Baby, o Porquinho Atrapalhado na Cidade e Happy Feet, o Pinguim), consegue enfim fazer a sua tão sonhada 4ª parte da série Mad Max, e não é a toa que ele teve que suar muito pra tirar esse filme do papel: ESSA PORRA É COMPLETAMENTE INSANA!!!!

Esperem loucuras desse tipo
Na trama, Max (Tom Hardy), ainda um nômade das estradas de uma Austrália pós apocalíptica, é capturado pelas legiões de uma Cidadela controlada pelo Immortan Joe (Hugh Keays-Byrne , o líder da gangue de motoqueiros do 1º Mad Max) para ser usado como bolsa de sangue humana, e acaba de se envolver numa perseguição à Imperatriz Furiosa (Charlize Theron), que roubou do Joe o seu bem mais precioso: o harém dele.


Isso é um tesouro ainda mais valioso no universo do filme, acredite

Esse é resumo de toda a trama do filme, que se resume a uma perseguição frenética no meio do deserto da Austrália, repleta de sangue, explosões e areia, ou seja, o mais puro massavéio, só que ao contrario de certos transformers por aí, esse massavéio não cansa.


O filme ainda vem com algumas pausas estratégicas na ação para o espectador descansar bem a cabeça, e nelas vemos um belo fiapo de roteiro, que embora bem "básicão", não ofende a inteligencia do espectador e dá um desenvolvimento básico pras personagens, não os deixando muito complexos, mas também longe de serem vazios.

Descanse em quanto pode, vai precisar
Além do massavéio, outro ponto que chama a atenção no filme é o seu visual, repleto de veículos punk e personagens grotescos, e em alguns casos até mesmo asquerosos, mostrando que a guerra nuclear pelo petróleo que deixou a Austrália assim também teve um efeito devastador nos genes desse povo. As mulheres jovens do filme são as mais normais do filme inteiro, visto que o protagonista ficou completamente maluco (por isso o nome é MAD Max) e o Immortan Joe e seus seguidores se comportam como verdadeiros animais.

Devolvam as minhas vadias!
Para aqueles que vierem com o "mimimi" de que o Max não é o verdadeiro protagonista do filme, e sim a Furiosa, saibam que mesmo ela sendo o fio condutor da trama, que o "Max Maluco" continua bem presente o filme inteiro, só falando pouco porque o Tom Hardy não parece mais saber falar como alguém normal (ASSISTAM DUBLADO!), não que isso desmereça a personagem.

Não está ruim como a voz desse puto, mas incomoda um pouco
O único ponto negativo do filme foi mesmo a ausência daquele maluco do Mel Gibson, que com certeza ia se sentir bem a vontade no papel, e levando em consideração que o 3º filme da série se passou 20 anos após o 1º e 15 após o 2º, faria bastante sentido o Max aparecer velhaco nesse 4º.


Insano, frenético e bizarro, esse é sem sombra de duvida um dos melhores filmes desse ano, se não O melhor.

Nota: 9,6 (9,8 dublado, onde o Max tem a voz do Guilherme Briggs... e eu não vou dar pra ninguém)


E que venha o próximo!
PS: Pros maiores de 18 anos, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

Confira Também...

0 comentários