As Maiores diferenças entre os Quadrinhos e o Filme de Watchmen



Depois de uma Longa novela o diretor Zack Snyder foi convidado para dirigir a adaptação de uma das consideradas maiores obras dos quadrinhos de todos os tempos.

Ele adicionou diversas coisas as quais ele admite como por exemplo estendeu as cenas de luta e usou elas para cortar diversas cenas dos quadrinhos, essa postagem não tem intuito de ofender quem gostou ou não gostou do filme ou da obra dos quadrinhos, apenas de apontar suas maiores diferenças.

Cada pessoa tem a sua subjetividade de gosto e isso é o que faz cada ser humano único.

Apesar de Snyder em entrevistas falar que queria o filme bem parecido com os quadrinhos e ter usado os quadrinhos como parte dos storyboards das cenas ele admitiu diversas outras mudanças.

Uma que ficou na cara é que Snyder queria que o Coruja fosse mais ameaçador e os personagens fossem mais físicos do que nos quadrinhos tirando essa camada de realismo ou de humanidade, para deixar eles mais super heroicos (bem diferente da desconstrução do super heroísmo feita por Alan Moore).

A roupa do Ozymandias foi modificada e virou uma espécie de armadura de borracha inspirada nos filmes do Batman do Joel Schumacher (não me pergunte o porque, mas aparentemente Snyder gosta desses filmes).

A maioria dos fãs apontam três grandes mudanças na historia da adaptação para o cinema que consiste na linguagem, os personagens e o final, vamos abordar cada um de maneira diferenciada.


Varias coisas tiveram que ser cortadas com o tempo, alias uma das primeiras adaptações que Alan Moore tinha concordado com os roteiros mostrados foi uma ideia de uma mini serie de total duração de 6 horas dividida em vários episódios, porem é logico isso não foi o que pensou a Warner que preferiu fazer um filme.

O conto do cargueiro negro foi um desses cortes, uma historia em quadrinhos inserida dentro das historias em quadrinhos.

Um Leitor de Quadrinhos começa a ler sua historia em quadrinhos favorita que é sobre piratas.

As cenas relativas a esse leitor e o dono da banca de revista são usadas como forma de interligação com diversos personagens que aparecem durante o desenrolar da historia, explicando o clima do ambiente e mostrando pequenos dramas do cotidiano do universo criado por Moore.

Eliminar esses personagens não foi algo que afetasse muito o desenrolar da historia, a única coisa que afeta na historia principal é a interação entre o conto do cargueiro negro e o final da historia principal com Ozymandias.

Ozymandias tem um paralelo entre o personagem do conto do cargueiro negro e ele, ai você se pergunta mas que porra tem tudo isso haver Questão sua anta?!

A Resposta do final de Watchmen dita por Ozymandias e as coisas que ele tem que conviver pelas consequências de seus atos, sem esse momento no filme a tonalidade de cinza do personagem e a demonstração de que Ozymandias se arrepende do que ele fez e sente todas as mortes que causou como algo errado, mas necessário se perde no filme. (apesar de para muitos ele continuar sendo um hipócrita).

Outra coisa é relativa aos personagens da antiga geração que interagem com a nova, incluindo a reunião do Mariposa com outros personagens nas paginas dos livros e maior abordagem sobre a vida dele, que no filme apenas aparece em uma cena sendo colocado em um hospício.

Também fala mais de outros personagens como o primeiro Coruja e seu destino final, contando mais sobre sua vida, apesar de que sua cena de morte foi cortada e está nos extras do dvd do filme, ainda assim foi muito pouco.

Ainda existem mais coisas sobre o Justiceiro Encapuzado, aquele que impediu o estupro da primeira espectral.

Existem anotações dentro dos  quadrinhos que mostram sobre sua morte, quase certamente provocada pelo Comediante.

A cena de abertura de montagem tenta sintetizar todos esses momentos de uma maneira muito boa, mas falha vendo que nos quadrinhos estas informações estão bem explicitas, apesar de bonito não tem  o mesmo conteúdo explicativo, não que seja necessário tudo, mas a maioria das informações vitais foi deixada de fora que é mostrada tanto nos quadrinhos quanto nos textos interligados como trechos do livro Sob o Capuz e as avaliações psicológicas de o Rorshach.


Personalidade dos Personagens:

Apesar de Snyder manter a estética dos quadrinhos, a personalidade dos personagens e as relações interpessoais  foram modificadas.

O Doutor age de maneira vingativa a respeito de falta de conexão com a humanidade, muito mais que nos quadrinhos por exemplo.

Os quadrinhos mostram a progressão do Doutor perdendo aos poucos sua humanidade ao longo do tempo e não diz que ele foi assim imediatamente após seu acidente.

Ozymandias representado no filme parece um vilão sociopatico dando pouca importância as suas vitimas, no filme aparentemente ele demonstra que não é mais capaz de sentir emoções como a maioria das pessoas.

Nos quadrinhos ele é um herói bom e fraternal, que depois de um tempo vendo a humanidade decair decide sacrificar sua própria moralidade por um bem maior.

O coruja é representado de forma mais confiante e poderoso, uma espécie de Batman aposentado, sendo que nos quadrinhos ele é bem frágil e muito mais inseguro (lembrando o personagem que foi inspirado que é o Besouro Azul II Ted Kord).

Ele tem medo tanto da insanidade de Rorsharch quanto a disputa amorosa  e os poderes do Doutor.
A Espectral II no filme é mostrada de maneira insegura e confusa, ao contrario dos quadrinhos que ela é segura e determinada em suas escolhas.

Os Quadrinhos também tratam com mais profundidade o relacionamento entre Espectral II e sua mãe que foi a primeira Espectral, bem como a suas historias de lutadora contra o crime.

Os quadrinhos exploram muito o passado de Rorsharch muito antes dele ter decidido matar, quando ainda não tinha perdido sua sanidade.

Os confrontos entre Rorsharch e o ex inimigo do Doutor são minimizados em uma única cena no filme, quanto nos quadrinhos ocorre uma exploração muito maior mostrando muito do passado dos personagens.

Outra coisa o Rorsharch não mata o assassino de crianças com um cutelo, ele na verdade deixa coloca uma algema no assassino  e prende ele, em seguida deixa o cutelo dizendo que se quiser sair teria que cortar a própria mão fora, ele observa o criminoso queimar vivo durante um incêndio (uma clara alusão ao primeiro filme de Mad Max).

Nos Quadrinhos é muito mais explicado sobre a lei que baniu os vigilantes encapuzados, mostrando como a sociedade foi mudando e como cada um deles reagiu em relação à lei entrar em vigor.

Os Quadrinhos explicam a origem e a explicação do símbolo que o doutor usa em sua testa que é uma representação do átomo.

O truque de tocar a Espectral para explicar tudo é apenas no filme, na verdade eles conversam entre si mostrando as tonalidades de humanidade dos personagens nos quadrinhos.

Rorsharch e não o Coruja é quem avisa Ozymandias que existe um assassino a solta nos quadrinhos.

Rorsharch ainda zoa Ozymandias e seus brinquedos, já o Coruja curte bastante os brinquedos e toda a pinta de fanboy no filme.

Talvez a razão dessa mudança seria que um personagem zoando os bonequinhos poderia prejudicar bem...as vendas dos bonequinhos oras, então não seria lá uma mudança muito relevante.

Os quadrinhos possuem uma cena onde a Espectral bêbada confronta o Comediante sobre a tentativa de estupro de sua mãe.

O comediante nessa cena está bem vulnerável e confuso, fica envergonhado de contar a verdadeira relação entre ele e a mãe de espectral.

No filme quem decide reunir o povo é Ozymandias mostrando seus planos, nos quadrinhos essa reunião é feita pelo capitão Metropolis, um dos mais velhos heróis ativos na época.

Nos quadrinhos quando Espectral e o Coruja invadem o local que está tendo uma rebelião eles apenas derrubam dois detentos, longe daquelas longas lutas de slowmotion do filme.

Snyder deu a todos eles basicamente super poderes, devido a seus atributos físicos o que altera muito do aspecto humano e limitado da maioria deles.

Essa humanidade é central nos quadrinhos demonstrando todas suas fraquezas e limitações, o Coruja e seu medo do futuro, a frustração de Espectral sobre sua vida, os danos psicológicos sofridos por Rorsharch devido a sua vida, eles são pessoas normais que decidiram ter vidas extraordinárias e pagam por isso em suas vidas pessoais.

Suas limitações humanas físicas e psicológicas são o principal motivo da HQ ser referenciada e isso ficou de lado claramente no filme.


O Final
No final dos quadrinhos Ozymandias cria um organismo alienígena falso com a ajuda de muitas pessoas incluindo o homem que criou os contos do cargueiro negro.

Ozzy não quer incriminar o Doutor, mas quer apenas evitar que ele seja uma ameaça a seus planos.

O preludio de uma invasão alienígena ou algo mais geraria medo que deixaria de lado as diferenças politicas da humanidade, na verdade isso se baseia em diversos discursos a ONU durante a guerra fria em que quase todas nações reconhecem que somente  algo grande como uma ameaça em comum ( até citam uma invasão alienígena) poderia unir a humanidade contra algo.

O final do filme cria um cenário onde todos acham que é o Doutor o responsável pela destruição, sendo assim o maior símbolo do poder americano sendo responsável por um ataque a união soviética seria respondido imediatamente com misseis nucleares contra os EUA, simples assim, mas no filme a humanidade se une em um esforço contra o Doutor que some da Terra.

O final do filme ainda mostra o Coruja olhando a morte de Rorsharch nas mãos do Doutor fica, quando nos quadrinhos ele nunca viu isso e se une a Espectral depois de toda a insanidade em um momento de ternura e não do sexo ao som de aleluia totalmente constrangedor.

Vamos parar por aqui, já escrevi demais, espero que tenham gostado.

Confira Também...

0 comentários