Recomendação de HQ - Morning Glories


Pra quem está acostumado com filmes da sessão da tarde, a primeira coisa que se pensa no momento que se vê a capa de Morning Glories é: "Isso é uma história de adolescentes enfrentando as dificuldades da vida de jovens estudantes americanos".
Mal se imagina que o conteúdo vai muito além do que aparenta ser, com uma profundidade que nos leva a voltar algumas páginas para tentar entender toda essa trama que se enrola, e se torna um emaranhado de fatos que no final parecem estar interligados.

E esse é um dos pontos mais marcantes dessa HQ. Depois de certo ponto da trama, a história passa a tomar um rumo não linear, com partes do passado sendo mostradas alternadamente com partes do presente, e em alguns casos, realidades paralelas que acabam convergindo num ponto em que retornam ao presente.

É um tanto complicado de se explicar como esse tipo de narrativa funciona, mas podemos usar como exemplo uma comparação muito usadas pelos leitores: é como se fosse Lost, mas ao invés da ilha, você tem a escola.

(Provavelmente essa comparação pode deixar alguns preocupados, pois Lost não terminou da melhor maneira possível, deixando muitas perguntas sem respostas, mas Morning Glories, até o momento, está conseguindo fechar todos seus arcos de maneira excelente, prendendo todas as pontas soltas, mas ainda assim criando novos mistérios para manter o leitor interessado)

Se tratando de história, nós acompanhamos os 6 jovens desde o seu primeiro dia de ingresso na escola, e aos poucos vamos descobrindo um pouco mais de cada um, como foi seu passado, o que o leva a se comportar de uma certa maneira. Cada jovem possui uma habilidade, que pode parecer uma referência aos X-men, mas aqui as habilidades são algo mais sutil, que aparecem apenas em momentos oportunos.


A hq está ainda está sendo lançada, portanto é uma ótima oportunidade pra quem gosta de histórias de mistério, suspense e ação, que envolva paradóxos temporais, e tudo isso acontecendo num ambiente escolar que consegue até trazer uma certa nostalgia dos filmes de escola/faculdade, ou mesmo de nossa própria vida acadêmica.



Confira Também...

0 comentários