Recomendação de Mangá: Prison School


   Pra quem já conhece essa série, deve estar pensando: Olha, que pervertido! Mas não, muito pelo contrário! Prison School é certamente famoso por suas peculiaridades, tal como sua proposta que se mantêm no clichê de outros mangás (Jovens tímidos tentando entrar em contato com garotas), mas existe muito mais profundidade do que apenas fan-service ali.


   É necessário dizer que Prison School é um mangá +18, simplesmente pelo fato de conter muitos ângulos "obscenos" de partes do corpo das moças. Algumas vezes de forma extremamente gratuita. E o tema da história se resume no seguinte: 5 rapazes extremamente tímidos estudam numa instituição em que eles são os únicos homens, todo o resto dos alunos é composto apenas por garotas. É óbvio que eles iriam ficar malucos, e como não conseguem interagir com o sexo oposto, tentariam ao menos espiar no banheiro feminino. 
O plano não funciona como esperavam, eles são pegos, e acabam sendo mandados para a prisão(!?) que há no meio da escola, um local reservado para os jovens que cometem algum delito. 


   Pode parecer um tanto genérico, e até japonezice demais, mas a medida que se lê, é possível perceber que há muito mais na história pra prender a atenção do que as mulheres bem desenhadas e os ângulos exagerados, pois a história é muito bem elaborada, e os personagens tem profundidade, no nível em que você passa a se importar com cada um deles. 


   No ponto da história ser bem elaborada, entende-se assim: Algum objeto ou acontecimento que aparece no começo da história e parece ser irrelevante, mas à frente vai ter alguma importância, e você percebe que nada ali acontece por acaso, tudo é interligado em algum momento.
E esse é um dos motivos dessa recomendação, a trama bem arramada e interessante, com um humor muito bom pra quem está acostumado com animes e mangás.
   E pra quem é pervertido, não há cenas de sexo explícito, afinal, esse não é um hentai, mas sim um mangá mais "apelativo". E é recomendado não apenas para homens, mas para mulheres também.

Confira Também...

0 comentários