Melhores jogos que joguei em 2015




Bom, ano passado eu fiz uma lista parecida, mas coloquei um top 10. Até o exato momento em que eu estou escrevendo, não sei se teremos REALMENTE um Top 10, mas caso queira conferir, aqui está o link do post. Mas vamos ao que interessa, que é listar todos os melhores jogos que eu joguei em 2015 e dar minhas impressões sobre eles.


Dragon Ball Xenoverse



Xenoverse é uma forma de renovar os jogos da franquia Dragon Ball, te colocando como um guerreiro da Patrulha do Tempo que tem que interferir nos acontecimentos da história do Anime e ajudar a salvar o universo e a linha temporal dos Guerreiros Z. Com uma jogabilidade diferente dos clássicos jogos de DBZ como Budokai Tenkaichi 3, Xenoverse traz um quê a mais para os jogos de Dragon Ball, aonde você cria seu próprio personagem e interfere nas batalhas do anime. Ter seu personagem ali lutando ao lado de Goku, Vegeta, Gohan e os outros é bem mais divertido do que só ir lutando vilões através da história do anime. E graças a isso, Xenoverse cumpre muito bem seu papel de ser um jogo inovador dentro das adaptações de animes que são só jogos de porradaria genéricos.

Tomb Raider


Finalmente depois de conseguir um PC decente, joguei o primeiro jogo do Reboot da série Tomb Raider, que eu jogo desde o primeiro no PC. Lembro até hoje da parte em que você tem que matar um Tigre e eu fiquei num cagaço de fazer.Porém, esse reboot tem uma versão melhorada e bem mais profunda da Lara. Ela agora não é só uma personagem peituda com atitudes sensuais e meio masculinizadas. Ela resolve as coisas como uma mulher de verdade e consegue superar seus obstáculos sendo uma personagem muito bem construída ao longo desse jogo. O uso do arco e flecha (que se você não usa, vergonha de você), stealth e tudo mais, é uma melhora do jogo de plataforma e exploração que tínhamos. Agora um jogo de sobrevivência em uma Ilha, e agora no novo, de bem mais exploração e sobrevivência, nos mostra que a Crystal Dinamics acertou em muito ao fazer esse jogo, e com certeza vale muito a pena ser jogado. 

Fallout: New Vegas



Na minha ânsia por Fallout 4, no começo do ano eu comecei a jogar Fallout New Vegas. Durante o tempo que eu não joguei Fallout 4 (só o peguei agora no final do ano), New Vegas foi meu alento. Jogabilidade, história, o mesmo humor ácido que nós gostamos da franquia tudo no lugar, e o melhor, no deserto de Nevada. O estilo lembra ainda mais Mad Max, como a franquia inteira se baseia desde o Fallout 2. Com uma jogabilidade um pouco mais rebuscada que o Fallout 3, New Vegas é bem mais divertido e menos denso que seu predecessor, e que seu sucessor também. 

Game Of Thrones: A Telltale Game Series


A TellTale prometeu um excelente jogo baseado em Game Of Thrones, e cumpriu boa parte do que prometeu. Apesar de alguns problemas nos episódios finais, devido ao fato da empresa ter começado a ficar um pouco gananciosa e pegou muitos projetos para serem feitos, o jogo acabou tendo alguns problemas, que não afetaram na satisfação final com o jogo, pelo menos para mim. A História da Família Forrester é excelente e consegue ser melhor do que muita coisa que a série tem mostrado, apesar de algumas coisas da trama do jogo se apoiam no formato da série em tentar chocar todo mundo com suas mortes, o jogo consegue ter mais altos do que baixos. E espero que a Segunda Temporada acerte bem mais que esse jogo que era tão promissor, mas deslizou no caminho.



Rocket League


Caramba, que surpresa agradável é esse jogo. Futebol com carros parece algo que não combinaria, mas Rocket League mostra que isso consegue se unir e muito bem. O jogo em si é bem simples, mas abre muitas portas para estratégia e conta com a sua habilidade em conduzir um carro e fazer manobras cada vez mais ousadas parar marcar gols incríveis. Rocket League é divertidíssimo e o melhor jogo de esportes que eu joguei nos últimos anos. Por isso é um jogo tão divertido e que te prende de uma forma incrível. É com certeza um dos melhores jogos do ano.

Star Wars: Battlefront



Battlefront é um jogo que desde o exato momento em que eu peguei pra jogar eu me apaixonei. Diferente do que eu imaginava, a Dice me colocou dentro do Universo de Star Wars e me deixou bem satisfeito com o resultado, mesmo quando a campanha singleplayer se limite a modos de aprendizado e se focar bem mais no Multiplayer. As Batalhas aéreas, a batalha em solo são tão imersivas, ainda mais com toda a trilha sonora, sons originais e todo o cuidado que eles tiveram para trazer de volta o sentimento que você tem ao jogar as batalhas épicas de Star Wars. Mesmo sendo um jogo da EA que só quer saber de sugar seu dinheiro, Battlefront é um jogaço.

Assassin's Creed: Syndicate



Tem um bom tempo que eu não tenho me empolgado jogando um Assassin's Creed.  Já fiz até um post aqui falando sobre como a franquia deveria parar e se concentrar em fazer algo com mais qualidade do que só pensar no dinheiro. Porém o Syndicate veio e me fez pagar com a língua. Com um Gameplay bem interessante, uma história bacana, o Assassin's Creed mais moderno da franquia surpreende e muito mostrando que quando a Ubisoft quer, ela acerta e acerta muito. O jogo possui alguns bugs sim, nada é perfeito, mas não é nada como seu antecessor, o Unity. Por isso que eu vejo Assassin's Creed Syndicate como um ponto a ser seguido agora na franquia. Depois de tanto tempo sem acertar com um jogo, a Ubisoft agora até me dá esperanças para The Divison e outros jogos da desenvolvedora. É só esperar pra ver.

Fallout 4




Sim, mais um jogo da Franquia Fallout nesse post. E esse aqui é um dos melhores jogos do ano. Só não é o melhor por poucas coisas, mas aí é a Bethesda sendo a Bethesda. Quem gosta dos jogos dela entende e consegue aceitar o que tem de errado com o jogo. Fallout 4 é tudo o que você gosta dentro da franquia colocado em um jogo só. E não só da franquia Fallout, mas também com coisas vindas de Skyrim em sua jogabilidade. Além dos gráficos que por mais que digam que é feio, é mentira. Jogue uns 10 minutos pela Wasteland e você vai ver o quão bonito esse jogo é. Fallout 4 tem uma das melhores experiências que eu estou podendo jogar agora e com certeza é uma das melhores aquisições que eu fiz esse ano.

Life Is Strange




Já escrevi sobre Life Is Strange aqui, e em todas as redes sociais possíveis sobre o quanto esse jogo é incrível e o quanto ele é subestimado. Muita gente diz que é o contrário, mas é mentira. Life Is Strange pra mim é um dos jogos do ano, se não, O JOGO DO ANO. Uma das melhores histórias que eu pude jogar esse ano e só mostra como esse estilo de narrativa e jogos baseados nos clássicos Adventure Games podem competir com os jogos de mecânicas complicadas se simplesmente se focarem na história e te trazer para o jogo através da imersão e da  trama que é sempre algo incrível. Life Is Strange tem uma excelente dublagem, uma excelente direção de arte, uma trama bem escrita e com poucos furos. Com um final que muitos acham que deixou a desejar, porém se manteve fiel a trama e ao estilo do jogo. Quem jogou até o final sabe como esse jogo é incrível e importante para quem passou por tudo o que Max e Chloe viveram durante os 5 episódios. E agora com uma Segunda Temporada confirmada, eu espero que o jogo não se foque nelas, e sim em novos personagens, com poderes diferentes e premissas diferentes. Life is Strange não é só Chloe e Max e eu espero que a DontNod entenda isso para a segunda temporada do jogo.

Metal Gear Solid V: The Phantom Pain




Eu acho que esse jogo não precisa de muita explanação pelo simples fato dele ser, apesar dos problemas de produção e com o Hideo Kojima e a Konami, a maior realização da Kojima Productions. Apesar de estar "incompleto", Phantom Pain dá uma aula de como um jogo pode ser stealth, ação de tiro em terceira pessoa, jogo de espionagem e tudo o que você quiser fazer com esse jogo. E você consegue fazer. Phantom Pain é um diamante bruto que mesmo depois de muito lapidado, teve umas lascas que quebraram e deram errado. Mas ainda assim, para mim é junto com Life Is Strange o melhor jogo que eu joguei em 2015. Devo já ter umas 100 horas de jogo e ainda não terminei, fiquei andando pelo deserto e fazendo coisas secundárias. Essa é a graça desse mundo aberto enorme e cheio de possibilidades que Hideo Kojima nos deixou. É uma pena que a Konami tenha estragado tudo e agora tenhamos que ver a franquia ruir sem seu criador.

Bom, sem mais delongas, esses foram os melhores jogos do ano pra mim. Eu sei que alguns não forma lançados esse ano, mas cara, não importa. Se são bons e são experiências novas, valem a pena serem mencionados nessas listas. E eu peço aqui que você coloque alguns jogos que te marcaram esse ano, pra gente conversar um pouco sobre joguinhos.

É isso galera, e 2016 promete bastante no quesito videogames. E eu espero trazer essa lista agora com mais atualidades que o normal. :D

Confira Também...

0 comentários