Uma geração mimizenta de vilões meia boca


Zapeando pelo caralivro outro dia, fui surpreendido por esta imagem outro dia:

“Não é fazendo críticas, mas os filmes da Marvel tem vilões muito ruins mesmo, não adianta dizer que não, todos os vilões apresentados pela DC de Nolan para frente foram ótimos, antes disso existiu algumas cagadas, mas agora acertaram bem!” Sociedade Geek

Por um instante fiquei perplecto tentando entender o que se passava, tentando absorver o cunho e real intenção de tamanha esbórnia em formato de jpeg. Foi ai que tracei uma linha do tempo entre os recentes vilões da ficção. Só alguns, os grandes, aqueles que nós amamos ou deveríamos amar odiar.

 Antes de mais nada - como marvete – tinha que refutar tamanho ato de injuria cometido nesse post visto no Facebook, então lembrei do personagem mais amado da Marvel (logo depois do Capitas Toddy, aquieta o bumbum ai e não vem reclamar), nosso inestimável vilão Loki!
Shazam carai!
A interpretação maravilhosa de Tom Hiddleston traz uma carga dramática que muitas vezes é maior do que a do próprio filme, ao ponto de você se questionar se tal sorriso ou olhar triste foi encenação, sarcasmo ou sinceridade!



Na primeira temporada de Daredevil, fomos apresentados a mais uma versão de Wilson Fisk, interpretado por Vincent D'Onofrio a profundidade do personagem se mostrou gigantesca, chegando ao ponto de muitas vezes se dar mais atenção ao vilão do que ao nosso amado herói saltitante.
"A porta do meu carro vai fazer uma proposta que você não pode recusar."
Certo, mostrei dois pontos fora da curva, vilões recentes muito legais e amados. Contudo, analisando os filmes mais recentes acabei percebendo outro movimento na cultura pop.



***********************Plantando a treta*******************************



A geração atual, os jovens, uma atual placa de petri de futuros membros ativos da sociedade, vem de uma formação cultural extremamente diferente.  Digo isso pois os valores, lazer e motivações são outros. Atualmente SBT e Globo se modernizam tentando interagir com as mídias sociais atrás de recuperar seu espaço como formador de opinião entre os jovens, isso pois cada geração pouco a pouco muda seus conceitos de gostos e afins.

E isso é mal? Não necessariamente, isso cria todo um ecossistema social nunca visto antes, com seus próprios anseios, necessidades e gostos, contudo pode ofender quando isso implica em modificar personagens já canonizados na cultura pop.

Vejo novos vilões, desmotivados, insanos, instáveis e rasos também como um fruto disso. 

Através do caralivro vi inúmeros juvenis defendendo a postura do Lex Luthor (Michael Cera) (Mark Zuckerberg) (Jesse Eisenberg) em BvS, e acho sim que isso é visto pelos executivos, produtores e estagiários da Warner.
Sim, achei uma bosta.
Este público atualmente gosta de vilões desse gênero, vilões passionais e estouradinhos, com  defeitos, e que antes de mais nada são estranhos antes de ser ameaçadores.



E caso você ache que eu estou viajando na minha cagação de regra (porque sim, isso é uma cagação de regra), peço para que se lembre dos últimos vilões de Batman, Star Wars e Vingadores Era de Ultron!

Kylo Ren foi mimado sentimental, ludibriado por um terceiro dominador, que trai os pais e resolve virar um nazista intergaláctico.
Mimimi, lord Sith, mimimi nariz grande, mimimi não é a mamãe.
Ultron nada mais foi que um robô adolescente (beijo Jenny) que quer matar o papai por não gostar de como foi tratado, criado, usado, e por causa disso resolve destruir o mundo.
Mimimi Gepetto, mimimi extinção da raça humana, mimimi Visão.
Talia Al Ahul simplesmente foi uma vilã raza, motivada por nada que tinha um plano completamente incipido que dependia de um milhão de fatores diferentes.

Mimimi vou explodir a cidade daqui 1/4 de ano mimimi verruga


 Esses foram vilões bons? Foram vilões frutos de uma geração de pessoas que assistem vídeos de maluquinhos de óculos no Youtube que ficam reclamando de tudo e todos, achando que assim vão mudar o mundo, e essa atualização aos personagens que amamos odiar muitas vezes é ofensiva e dolorosa para o fã de quadrinhos, ou dos filmes anteriores das respectivas obras.


E se você ainda tem dúvidas, não se esqueçam que o próprio cinema já brincou com essa característica rasa, descerebrada e adolescente dos vilões, no muito competente Kickass 2.
Mother Fucker

A verdade acima de qualquer outra é: “Estamos ficando velhos Magneto”

Confira Também...

0 comentários