hq

Viagem do Dia: O que, afinal de contas, são Quadrinhos?

Sabemos o que são Histórias em Quadrinhos, óbvio! Espera, sabemos mesmo? Será que nossa visão do que são Quadrinhos não está muito limitada?


Para começar, se é uma história, tem que ter história! Não são ilustrações em quadrinhos, são histórias! No meu curso de Quadrinhos aqui na cidade, é comum ver alguns alunos, geralmente crianças bem mais novas, que, quando fazem suas primeiras Hqs, desenham um personagem em cada quadro, sem absolutamente relação nenhuma entre eles, só desenhos avulsos. Isso no máximo seria uma galeria em quadrinhos (meus alunos são vanguardistas!). Imagens sem ligação não formam histórias. Em uma história em quadrinhos, o próximo quadrinho deve ter uma informação que dê sequência à do quadrinho anterior. Então, se um personagem está parado no primeiro quadrinho, o que ele estará fazendo no segundo? Ele vai correr, vai voar, vai apenas ficar parado e pensar em algo? E quais foram os motivos que fizeram ele sair da inércia. Por que ele se mexeu? Cabe aos próximos quadros trazer essa resposta ao público.

E o que é um quadro?

Se para você, o quadro é a borda que fica em torno do desenho... você está apenas meio-certo. O quadro é o momento da história que está congelado no tempo através do desenho. Imagine que você vá a praia com seus amigos. Você resolve fotograr a si mesmo em casa, depois fotografa seus amigos chegando, depois fotografa a todos vocês no ônibus, fotografa o grupo chegando a praia, em seguida fotografa um dos amigos após ter pisado em um caco de vidro e, por fim, fotografa a todos vocês, no pronto socorro com seu amigo recebendo tratamento médico. Tudo para abrilhantar seu Instagram com as lembranças desse dia. Mas, espera, se você olhar as fotos em sequência, isso não forma uma história, ainda mais se tiver uma legenda para acompanhar (já que o Instagram anda não tem recurso balãozinho)? Esses momentos do seu dia não estão todos capturados e congelados no espaço-tempo? É mais ou menos assim que uma História em Quadrinhos funciona.

"Ah, mas eu não gosto de super heróis!" Esse é um ponto complicadíssimo quando se fala em Quadrinhos. Heróis, super-poderes etc são apenas classes de um universo tão vasto e tão poderoso quanto nosso próprio Universo. TODO e qualquer tipo de história pode ser contada. No Japão, existem gêneros criados para os mangás (que aliás, também não é gênero) que nem fazemos ideia! Tem mangás sobre tudo o que se pode imaginar, desde heróis até romances de todos os tipos. Então, quando alguém se refere a um filme de super-herói como filme de Quadrinhos, está apenas apontando o dedo para a ponta do iceberg, sem nem sequer fazer ideia que há uma vastidão muito maior de coisas embaixo d'água.

Há uma discussão há um tempo se Quadrinhos são, de fato, literatura, como se isso elevasse a chamada Nona Arte a outro patamar, como um tipo de pré-requisito para respeitar essa arte. Na minha opinião pessoal, nada menos que baboseira. Os Quadrinhos possuem uma linguagem própria, riquíssima e cheia de elementos que a tornam única. Algumas pessoas só se permitem ler coisas que aparentem ter uma relevância cultural muito grande, como os grandiosos clássicos nacionais, elogiados por muitos, lidos de livre vontade por poucos. Não é preciso rotular nada como literatura para se ler ou para respeitar. Só é preciso ter bons olhos para reconhecer coisas incríveis.

Toda informação que é contada em sequência de imagens (que quadrinhos feitos com gifs provaram n]ao ser necessário elas serem estáticas) acaba, no final das contas, sendo uma História em Quadrinhos. É um meio poderosíssimo de comunicação que tem sido subestimada enquanto outros meios que agregam menos valores vem sendo superestimados.

De tudo o que envolve arte, Quadrinhos são a minha maior paixão. Uma linguagem riquíssima, com potencial para experimentação de novas linguagens e exploração da forma e do texto conforme o autor desejar. 

Renan Ishin

Confira Também...

0 comentários