Com uma licitação "gambiarra", uma minúscula empresa ganhou um contrato milionário para a segurança nas Olimpíadas!


Continuando os assuntos que envolvem as Olimpíadas do Rio, vamos falar de uma história que não é de cinema ou hq, mas é tão inacreditável quanto. Só que essa aconteceu de verdade, e foi protagonizada pelo Governo Federal Brasileiro.

Seguinte, na sexta-feira passada, dia 29, o Buzzfeed liberou no seu site a história da Artel Recursos Humanos, uma pequena empresa do litoral catarinense, criada em 2013, e que tem como  foco principal a contratação de mão-de-obra terceirizada. 

Tendo como dono, Deivison Scheffer Jacinto, de 25 anos - que é réu em vários processos trabalhistas - a Artel Recursos Humanos seria apenas uma das milhares empresas de terceirização de mão-de-obra existentes no Brasil. Porém, um pequeno detalhe trouxe a empresa para os holofotes nacionais e internacionais: a Artel ganhou uma licitação de 17 milhões do Governo Federal, para operar os aparelhos de raio-x nos locais de competição e no alojamento dos atletas durante as Olimpíadas do Rio. A história veio à tona após uma reportagem do americano The Wall Street Journal  (está em inglês).

Pois é, e como as grandes sagas da Marvel e Dc, essa também é separada por arcos. Prestem atenção e entendam melhor a história:


1º) TUDO NOVO NOVAMENTE (All New Again)

Escolhido como novo Ministro da Defesa do papai Temer,  Raul Jungmann tomou posse informando que nada mudaria nos planos para a segurança Olímpica. Por razões desconhecidos, talvez horóscopo, Jugmann ignorou o seu próprio discurso e mudou algumas coisinhas. Com o corte de 5.000 agentes de segurança para os jogos, o ministro e o governo federal conseguiram a proeza de deixar os equipamentos de inspeção eletrônica sem técnicos para manusear.


2º) UMA LICITAÇÃO QUE É NÃO PARA INGLÊS VER (E NINGUÉM SABER)












Sem pessoal especializado, o governo abriu uma licitação para a contratação de empresas que contratassem os operadores!

A empresa vencedora, após a primeira rodada de lances, foi a Totaltec Engenharia e Tecnologia, que ofereceu os serviços pelo preço máximo previsto no edital. Porém, o senhor Luis Roberto Machado Barboza, o pregoeiro do leilão, pediu para que a empresa revisasse estes valores. 

"Quer dizer, vocês ganharam e estão pedindo um valor que está dentro do edital, mas mesmo assim não estão de acordo com o edital!" TÁ SERTU.

O presidente da Totaltec informou que os valores estão dentro de uma estimativa para cumprir todos os custos necessários na operação e que seria inviável uma diminuição nos mesmos.

Depois de todo esse imbróglio, a empresa perdeu os prazos da licitação e foi desclassificada.


3º) VIRANDO O FEIRA DA FRUTA

Usando o "lico de cair a coerência", o Governo inicia uma segunda rodada de lances, tendo apenas duas empresas como concorrentes. Então, mais rápida que o Mercúrio da Fox, a Arjo Segurança desistiu da licitação. A situação pegou de surpresa até a outra concorrente: a Artel.


4º) FALANDO EM FEIRA DA FRUTA: "QUE HORAS SÃO?"

Sem nenhuma outra empresa concorrente, o pregoeiro pediu para que a Artel fizesse o seu lance. Então, um representante da empresa, senhor Alexandre Simões, solicitou uma extensão de prazo com a seguinte justificativa:

“A Artel Recursos Humanos, inicialmente estaria participando (sic) deste processo na condição de consorciada juntamente com outras três empresas. Após este alerta, efetuamos uma reunião emergencial do consórcio e as outras consorciadas não concordaram em reduzir valores para chegar nem próximo ao valor estimado do edital. Ocorre que a Artel Recursos Humanos, que seria a empresa líder deste consórcio, decidiu manter sua proposta, tendo todas as condições financeiras e técnicas de executar eventualmente o referido contrato em questão.”

Ou seja, ao meu ver, a Artel nem esperava ganhar o certame, além de estar participando de tudo isso com um conglomerado de empresas. E quando estavam próximos da vitória, as parceiras da Artel simplesmente pulam fora? TÁ SERTU

Sem muitas opções, o pregoeiro ficou esperando online a Artel fazer uma nova proposta. A dita cuja foi de R$ 21,635 milhões.



6º) O EDITAL GAMBIARRA

Assim como aconteceu com a primeira vencedora - Totaltec - o governo informou que a proposta era muito alta. Então, a Artel lançou uma nova proposta de 17 milhões de reais - a qual foi aceita. E foi assim que em 30 de junho a Artel Recursos Humanos venceu uma licitação do Governo Federal no valor de 17 milhões de reais.


7º) O JEITINHO DO JEITINHO

Depois de conseguir vencer o árduo leilão, a Artel só precisava resolver um pequeno detalhe: Contratar as milhares de pessoas para manusear os aparelhos nas Olimpíadas! E como fazer isso sendo uma pequena empresa do município de Navegantes, Santa Catarina?

Mostrando uma sagacidade digna de Salomão, a Artel teve a grande ideia de contratar outra empresa de recursos humanos para contratarem os operadores, A Simetria Recursos Humanos. Com sede no Rio de Janeiro, a Simetria foi de fato quem contratou os funcionários para os cargos solicitados.


8º) TREINAMENTO PARA QUÊ? 

Mesmo no edital principal tendo vários critérios para a contratação dos operadores de raio x, a Simetria exigia apenas que os candidatos tivessem segundo grau completo e que passassem num teste online.

A capacitação para fazer o citado teste online poderia ser concluída em algumas horas, apesar do certificado do curso de “Controle de Acesso às Instalações – MAG & BAG”,  informar que as aulas teriam sido realizadas entre março e setembro de 2016. Isso mesmo, SETEMBRO. "O que é, você nunca ouviu falar de Ponto Futuro no futebol?"

Para passar no teste, os candidatos precisavam acertar ao menos 14 das 20 perguntas de um questionário na internet (com possibilidade de tentar três vezes). Informações da Folha de São Paulo.


9º) Temer a zoeira? Jamais. Jamais!

Mostrando que a zoeira tem limites, nesta sexta 29 de julho, durante evento no Rio, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, anunciou o rompimento do contrato com a Artel Recursos Humanos porque a empresa alegou dificuldades financeiras e contratou somente 500 dos 3.400 agentes planejados. 

Para que os aparelhos de raio x não fiquem sem comando, a Força Nacional tomará a frente da situação. O ministro informou que papai Temer editou uma medida provisória que permitiu à Força Nacional incorporar PMs inativos há até cinco anos para reforçar o efetivo que atuará nos Jogos. Ainda segundo o ministro Alexandre de Moraes, a Artel será multada por sua incompetência e abandono contratual.

Sobre os erros do governo em todo o processo: "CRI, CRI, CRI!"


Esse é o tipo de história que se você contar para um estrangeiro, ele não vai te levar a sério. São tantas coisas surreais envolvendo tanto dinheiro, que não dá para acreditar.

Sinceramente, lendo e analisando todos os fatos, fica claro para mim que desde o início a intenção era para um desvio de dinheiro. 

Vejam bem: O edital tinha um valor máximo, o qual, aparentemente, nenhuma empresa ultrapassou. Ainda assim, todas foram solicitadas à baixarem os valores dos lances. Ok, já fui estagiário de um órgão de licitações, sei que isso acontece, mas, isso ficou bem esquisito.

E, de verdade, se tudo isso foi no intuito de desvio financeiro, seria muito mais "crível." Afinal, estamos no Brasil: "corrupção é uma de nossas marcas".

Além disso, não dá para acreditar que tanta trapalhada e desorganização aconteceram por pura incompetência por parte das pessoas responsáveis.

Bom, mas também não dá para duvidar. Porque, estamos no Brasil: "desorganização também é uma de nossas marcas!"

Até a próxima!! 

Confira Também...

0 comentários