Maduro diz que realidade virtual de 'Pokemon Go' produz monstros

Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, deu entrevista coletivo no Palácio Miraflores, em Caracas, na terça-feira (17) (Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters)

Presidente da Venezuela afirmou que jogo promove violência entre crianças. Jogo está disponível em 40 países, mas não chegou à Venezuela.

Depois de ter acusado o Homem Aranha de estimular violência contra as crianças e o capitalismo anos atrás, agora é a vez de Pokemon Go ser a razão do mal.
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta terça-feira (26) que "Pokémon Go" - o jogo que tem provocado furor em todo o mundo - faz parte de uma cultura que promove a violência entre crianças e jovens.
O capitalismo "gera realidades virtuais, todas vinculadas a armas, à violência e à morte. Realidades virtuais como este novo jogo que hoje está aí, Pokémon Go, vocês conhecem?! Milhares de jovens, milhares de pessoas, terminam vivendo nesta realidade virtual", disse Maduro em um programa de TV.
O presidente relacionou esta "cultura da violência" ao tiroteio protagonizado na semana passada, em Munique, por David Ali Sonboly, um alemão de origem iraniana de 18 anos, que deixou nove mortos e 35 feridos. "Um jovem de 18 anos, submetido a toda uma cultura de violência desde a infância, submetido à discriminação de uma sociedade. Isto produz um monstro".
Pokémon Go, que está disponível para dispositivos móveis em 40 países, ainda não chegou ao país, mas Maduro disse que vai proibir se puder que ele seja jogado pela juventude de seu país.

Confira Também...

0 comentários