Esquadrão Suicida: Sou fã, mas não quero service. Quero um filme decente!


Sim, apesar de toda repercussão negativa que o filme vem tendo, resolvi conferir Esquadrão Suicida e tirar minhas próprias conclusões. E tal como aconteceu com Batman v Superman, se tivesse confiado nas críticas, teria economizado um bom dinheiro.

Vejam bem, este review não é uma crítica especializada. Não tenho formação de crítico de cinema ou algo semelhante. Apenas é a visão de um fã que torceu muito para que um filme de hq desse certo.

Primeiro, não tem como começar a resenha sem perguntar o seguinte: "Só existem noites nos filmes da Warner?" Sério, não dá. Não entendo essa obsessão por cenas escuras. Aquilo atrapalha demais a percepção do espectador para com o filme. Tem momentos que realmente não dá para saber o que está acontecendo na tela - principalmente durante as cenas de ação. 

Roteiro e direção: Não existem. Se BvS foi um amontoado de cenas e com uma direção pífia, Esquadrão Suicida se superou neste quesito. Você vai do início à conclusão sem saber realmente qual era a missão principal do grupo e muito menos a intenção do vilão. Parecia que tinha uma criança de oito anos de idade na direção do filme. Os cortes de cena eram bizarros: O espectador estava assistindo ao recrutamento do grupo na prisão, de repente, cortavam para cenas do Coringa ou do Rick Flag. Era difícil saber se aquilo tudo estava acontecendo no mesmo momento ou se existia uma diferença de tempo de uma cena para outra. Muito se fala sobre a intervenção da Warner neste quesito, mas também não dá para ter certeza de nada. Pelo jeito isso será uma eterna incógnita


Personagens: Nível seleção olímpica - muito alarde, nenhuma eficiência. 
Talvez, pior que a direção do filme, só as interpretações dos atores. Algumas, como a da Magia, foram realmente vergonhosas. E não, a Arlequina não salva o filme. A personagem é chata e só serve para uma, tentativa, de alívio cômico. Essa foi de longe a personagem mais superestimada num filme de super-heróis e derivados.
Gostaria também de dar uma olhada no contrato do Will Smith, para saber se tem alguma cláusula dizendo que o seu personagem tem que ser protagonista do filme e que o mesmo não pode ser vilão. Sim, porque mesmo o filme vendendo que veríamos uma produção com super vilões, o Floyd é tudo, menos vilão. Os outros personagens nem dá para perceber que estão no filme. Apenas um deles tem um destaque no final quando se sacrifica pela equipe. Dizem até que o filho do Clint Eastwood estava neste filme. Provavelmente foi mais um boato de internet.

E para não dizer que todos foram dispensáveis, a Amanda Waller sobrou nesta produção. Digo sem medo de errar, que foi a única coisa boa no filme inteiro. Viola Davis estava segura e a sua interpretação destoava dos demais atores.


Para concluir, Esquadrão Suicida segue da mesma forma que as películas anteriores da Dc/Warner: o filme não empolga em momento algum, e ainda consegue a proeza de ser ao mesmo tempo, corrido e cansativo. Com mais de duas horas de duração, o filme deixa o espectador cansado, mas também confuso com tantas cenas jogadas sem explicação. É impossível não comparar com Guardiões da Galáxia, o plot é o mesmo: "Super vilões que têm que salvar o dia." Porém, diferente dos Guardiões, os vilões da Warner - mesmo sendo sombrios - não passam aquela sensação de vilania. O Rocket Racoon quando sugeriu entregar a gema do infinito para o Ronan só para salvar a própria pele, conseguiu ser mais vilão que qualquer um do Esquadrão Suicida.
Mas, acima de tudo, os filmes da Warner não conseguem cativar o público. Até o maior fã da Dc tem que admitir que os filmes da empresa não despertam aquela vontade no espectador em querer conferir a película novamente, pelo menos, não num curto espaço de tempo. A Marvel, com todos os defeitos, consegue capturar o espectador e trazer à tona aquela essência de criança nos marmanjos acima dos 28 anos.

E para aqueles que dizem que o filme por ser de super heróis, os fãs não podem reclamar: saibam que esta é a visão mais imbecil que existe. Primeiramente que o único intuito destes projetos é lucrar alto financeiramente. Se os grandes estúdios visam conseguir meu suado dinheiro com filmes, eles que façam algo atraente e que me empolgue de verdade. Se assim não ocorrer, tenho todo direito de ficar chateado e reclamar o máximo que puder. Como falei em outra postagem, não adianta colocar pessoas fantasiadas e alguns easter eggs na grande tela e achar que vai faturar bilhões. Até porque: "Sou fã, mas não quero service. Quero um filme decente!"

Até a próxima

Confira Também...

0 comentários