Esquadrão Suicida: Uma grata surpresa (review sem spoilers)

Pois é fui dar uma conferida em Esquadrão Suicida com a expectativa mais baixa do mundo, devida as notas em sites de votação e ter visto algumas criticas, negativas, mas o filme me surpreendeu positivamente, afinal devido a tanta propaganda negativa estava prestes a dar nota 0 ao filme sem ao menos ver ele, ainda bem que vi o filme e tirei minhas próprias conclusões.
O Esquadrão suicida surgiu em Bravo e audaz (brave and the bold)#25 de 1959,  que seria reintegrada no pós crise na edição 3 de Lendas de 1987,  apesar de diversas continuações a versão mais aclamada e conhecida é a dos anos 80, após a reformulação do pós crise, chegando a ser utilizada na animação da Liga da Justiça Sem Limites,  essa formação chegou a contar com alguns heróis como Oraculo, Vixen, Átomo entre outros.

O Esquadrão Suicida no filme segue os moldes da HQ dos anos 80, onde a interação dos personagens sob o comanda da Amanda Waller era o ponto chave, muitas vezes deixando de lado a importância da missão ou o vilão principal.

O Foco do filme é exatamente esse, os personagens e suas interações perante a trama, criando um mundo crivel com todo o tipo de bizarrice e acrescentando coisas ainda não exploradas no universo DC dos cinemas como Magia.

Sinopse - Um grupo de vilões são obrigados a cumprir uma missão suicida em Midway city, caso eles vençam terão parte de suas penas reduzidas, caso tentem fugir bombas implantadas irão explodir, caso o líder Rick Flag morra eles morrem, eles devem enfrentar uma organização criminosa e um poderoso meta humano que ironicamente foi libertado por um dos membros do esquadrão.

Todos os personagens principais possuem seu próprio carisma (até mesmo o bucha do Capitão Bumerangue), o Rick Flag é o personagem mais fraco da equipe, devido a uma modificação em sua origem e o ator escolhido para interpretar ele.

O ponto fraco é justamente aquele que você pode perceber que foi intervenção do estúdio, pois muda completamente o clima do filme, tentando fazer todos os personagens em anti heróis, deixando um pouco de lado o foco do filme que era o fato dele serem vilões, o que foi realmente uma surpresa já que em Batman V Superman transformaram os dois maiores heróis já criados em anti heróis.

Essa atitude foi feita para vender filmes solos de alguns personagens ou integrarem eles no futuro, mas acaba matando grande parte da diversão do filme, cujo proposito é nos mostrar vilões sendo maus e mesmo assim salvando o dia.

O Coringa está Ok, essa versão dele me lembrou a versão dos anos 80, quando o Coringa era um mafioso, vendia armas para terroristas e espancava Robins com o pé de cabra.


É um filme bacana que cumpre o que propõe e poderia ser muito melhor se não fosse o ponto fraco que falei, recomendo para assistirem.

nota 7

Confira Também...

0 comentários