Jornadas nas Estrelas: Conheça um pouco mais sobre o filme A Ira de Khan

Considerado por muitos fãs o melhor filme de Jornada nas Estrelas, ele também é considerado o mais famoso filme da franquia.
Em 4 de Julho de 1982, a tripulação original da Enterprise se reuniria novamente nos cinemas em Star Trek 2: A Ira de Khan, produzido com um orçamento bem menor que o primeiro filme da franquia no cinema, custando apenas 11 milhões de dólares, conseguindo arrecadar 97 milhões pelo mundo, sem falar que foi um dos filmes mais vendidos no mercado do Home Video, mesmo tendo arrecadado menos que o 1 filme da franquia no cinema, foi considerado um sucesso maior devido ao seu baixo orçamento e lucratividade comparado com o filme anterior, tanto fãs quanto os críticos de cinema fizeram criticas extremamente positivas em relação ao filme, devido a sua trama enxuta e o seu foco no universo da serie de tv, não contando muito com seus efeitos especiais, mas sim no seu roteiro que era focado nos personagens.

Com o foco em uma historia de vingança, o filme foi focado a um publico mais adulto, porem foi extremamente popular com crianças e jovens, seus tons gráficos de violência e sangue fizeram ele receber uma classificação R em alguns países, essa mesma classificação foi dada para filmes como Robocop e Exterminador do futuro nos anos 80, mais tarde para passar na Tv essas cenas mais gráficas foram cortadas, bem como no Home Vídeo, mais tarde na geração do DVD uma versão sem cortes do filme acabou saindo e vale a pena ver, infelizmente a Paramount não acreditava muito no filme, por isso nenhum brinquedo ou marketing foi feito para alcançar o publico mais jovem, somente saindo bem mais tarde com o sucesso do filme, normalmente antes dos filmes saírem para atrair o publico eram lançados produtos como brinquedos, albuns, quadrinhos, etc, no caso de a Ira de Khan isso não aconteceu, saindo somente mais tarde devido como foi dito anteriormente a falta de credibilidade que o filme tinha com o estúdio.

Depois do primeiro filme de Jornada o criador da franquia Gene Roddenberry tentou criar uma nova serie que foi rejeitada, depois disso tentou criar um roteiro que usaria viagens no tempo para um filme que também foi rejeitado, mas serie reaproveitado mais para a frente na franquia, muitos executivos da Paramount culparam a falta do sucesso esperado do primeiro filme, bem como os atrasos na produção devido as brigas para reescrever os roteiros que foram criadas por Gene Roddenberry e Leonard Nimoy(Spock), por isso nenhum dos atores e nem o criador de Jornada nas Estrelas teve controle criativo do filme, Gene Roddenberry apenas conseguiu a posição como consultor criativo, já que era criador de Jornada nas Estrelas, em seu lugar como produtor ficou Harve Bennet que foi o produtor de diversas series vinculadas a Paramount.
Harve Bennet nunca tinha visto a serie original de Tv e tinha um orçamento pequeno, por isso ele assistiu toda a serie original em uma maratona maluca antes da produção começar, de todos os personagens que ele viu o que mais se destacava era Khan, então ele partiu da ideia de reaproveitar o personagem como vilão do filme, já que para ele faltava um bom vilão no primeiro filme, bem como se aproximar mais do tom de ação da serie de tv, cujo primeiro filme foi completamente diferente, com a premissa de Khan como vilão isso conectaria a serie original e ainda daria um antagonista mais humano e real para o filme, Nicholas Meyer foi escolhido por ele como diretor, apesar de Nicholas Meyer ter feito filmes, ele era conhecido por adaptar roteiros para filmes, por isso Harve Bennet queria ele, para assim ajudar ele a desenvolver um roteiro que funcionasse em um filme.

Em questão de dias Harve e Nicholas reescreveram o roteiro, o que impressionou a todos inclusive William Shatner (Kirk) que tinha visto todos os problemas do primeiro filme dos cinemas da franquia e especialmente Leonard Nimoy (Spock) que vivia reclamando de todos os roteiros que eram mandados, Gene Roddenberry reclamou do roteiro ser muito militarista e com referencias navais, a morte de Spock foi ideia de Leonard Nimoy que queria largar Jornada nas Estrelas para focar em uma carreia solo que nunca aconteceu, mais tarde retornando no filme seguinte, já que durante o filme a maioria das negociações de Nimoy de trabalho deram errado, ele então sugeriu criar uma subplot de um possível retorno de Spock, a ideia de transferir a mente deles surgiu quase no final das gravações, assim Spock passaria sua alma e memorias para outra pessoa, assim podendo ressuscitar Spock no próximo filme.

A morte de Spock não foi tratada como segredo e vazou bem antes do filme ir aos cinemas, muitos fãs então protestaram com a morte do personagem, sem saber que ele voltaria mais tarde, o final do filme A Ira de Khan foi visto como muito sombrio e negativo, por isso foi modificado dando a ideia de que Spock retornaria no próximo filme, apesar disso muitos fãs ficaram revoltados com a morte de Spock, mas o próprio ator que interpretou o personagem garantiu que ele retornaria, Leonard Nimoy continuou falando sobre isso em convenções de Jornada nas Estrelas até os fãs se acalmarem acreditando nele.
Todo elenco original voltou, bem como uma nova vulcana, bem como uma nova tripulação, a ex mulher de Kirk e o seu filho (que foi uma surpresa para muitos), Ricardo Montalbán retornou como o humano geneticamente aprimorado Khan como o vilão do filme, que antes governou grande parte da Terra, ressurgindo na serie original e sendo banido assim como os outros aprimorados para um planeta esquecido, porem quando esse planeta começa a morrer e Khan perde grande parte de sua população, ele decide se vingar pegando uma nave da Federação e acaba cruzando com o projeto Gênese de terraformar planetas, o que leva a um conflito com Kirk e sua tripulação.

O ator Ricardo Montalbán (Khan) não gravou nenhuma cena com William Shatner (Kirk) e reclamou de não existir um confronto físico direto entre os dois personagens, apesar de ter adorado fazer o filme, uma das coisas interessantes do filme foi a ideia do diretor de dar óculos ao Kirk e justificar que ele era alérgico ao único tratamento que poderia ajudar ele com a sua vista, sendo uma das cenas de alivio cômico do filme, em 2002 uma versão do diretor no formado de DVD foi lançada, apesar do nome apenas acrescentou algumas cenas a mais no filme, tendo apenas 3 minutos a mais, com menos orçamento e tempo, os efeitos especiais foram muito bem planejados para serem focados em poucas cenas, sendo prioridade para o roteiro se adaptar a isso, por isso quase todos os efeitos usaram mais efeitos práticos de baixo orçamento com modelos do que novas técnicas que estavam sendo desenvolvidas, mas foi tudo muito bem executado o que não deixou o filme datado, os efeitos foram projetados para ajudar a historia e não ser o foco dela, assim economizando as cenas dos efeitos.

O Filme se tornou o mais famoso da franquia, tanto em critica quanto em popularidade entre os fãs devido ao fato de ser um vilão icônico e conectar com a serie de tv, mostrando que ao contrario do filme anterior a ele, ainda respeitam a mitologia da serie e mesmo assim criando uma historia nova, mesmo assim existia dialogo suficiente para que os não fãs da franquia entendessem o vilão Khan, bem como suas motivações.
A batalha final entre Kirk e Khan é claramente uma batalha de submarinos no espaço, o que deu mais credibilidade durante os combates entre as duas naves estelares, em um jogo de gato e rato em uma nebulosa onde seus sistemas de localização não funcionam, lutando assim cegos, recheada de cenas intensas, essa cena consegue trazer ação e tensão mesmo com as limitações técnicas da época, sem falar da morte de Spock que causou um impacto apesar da promessa do personagem voltar, as mudanças tornando a Enterprise mais militarizada funcionam tanto que foram carregadas para os demais filmes e series da franquia, como por exemplo as mudanças dos uniformes que eram mais práticos e funcionavam no contexto, até hoje o filme é considerado como um dos melhores se não o melhor filme de Jornada nas Estrelas, mesmo com os filmes rebootados com efeitos especiais atualizados, isso se deve felizmente ou infelizmente ao roteiro do filme que é muito bem escrito, ao contrario  dos filmes das contra partes do reboot, sem falar do vilão que é um vilão humano, mas mesmo assim mais inteligente ou fisicamente forte que o protagonista, tendo para a Kirk como unica opção apostar em seus instintos e na sua humanidade para vencer ele, tornando o conflito entre eles mais crível.

A popularidade do filme foi tão grande que na franquia tanto Nemesis quanto Além da Escuridão requentaram a trama, com Além da Escuridão trazendo um Khan rebootado e com suas habilidades físicas aumentadas, em ambos os casos tanto os críticos quanto os fãs ficaram decepcionados com essa tentativa de copia inferior, sem falar um roteiro bem mais fraco nos dois casos, já faz mais de 30 anos e a Ira de Khan continua um bom filme, sua qualidade é justamente sintetizar tudo que existe de bom em Jornada nas Estrelas em uma historia repleta de ação e humanidade, mostrando tudo em uma escala maior, que acabou trazendo vitalidade novamente a franquia.

Confira Também...

0 comentários