Herói nacional que caça políticos sai dos quadrinhos e vira filme

Doutrinador (Foto: Divulgação)
Já ouviu falar do Doutrinador? Então prepare-se: ele deve ser o primeiro herói nacional a dominar as telonas
A situação política do Brasil é extremamente complicada - vários outros adjetivos piores cabem nesta afirmação. Não seria absurdo dizer (sério, pode acreditar) que só um  super-herói  conseguiria resolver. Ou melhor: fazer justiça com as próprias mãos. Bem, meu amigo, você pode não conhecer, mas este justiceiro já existe e, em breve, vai conquistar o país - na ficção, pelo menos. Os planos doDoutrinador são ambiciosos e envolvem séries, cinema e um horizonte de possibilidades. Te cuida, Homem de Ferro.

Criado em 2010, os quadrinhos de Luciano Cunha fizeram sucesso em 2013, diante das diversas manifestações populares em todo o país. O modus operandi deste anti-herói com máscara de gás é simples: caçar e eliminar os corruptos. "Queria criar um personagem para essa corja. Esses caras vivem em outro universo. Gosto de pensar que, mesmo na ficção, o político tivesse algo que gerasse medo nele". Essa parte pouco ortodoxa já rendeu processo, hoje arquivado, de um famoso político de São Paulo, que não pode ser citado para evitar futuros problemas.


O personagem combina uma série de referências pessoais do próprio Cunha (não associe o sobrenome com "Você Sabe Quem", ele não vai gostar), por isso é possível identificar referências de Batman, Justiceiro e até músicas. Mas se no momento ele fica restrito aos quadrinhos com uma pequena circulação, prepare-se para vê-lo na TV, no cinema e em outros lugares.
Doutrinador (Foto: Divulgação)
A "doutrinação" nacional
O Doutrinador teve seus direitos de adaptação adquiridos pela Downtown Filmes, uma das principais distribuidoras do cinema nacional. Em parceria com a Paris Filmes, que produzirá e distribuirá, a ideia é atacar em três frentes: cinema, série e animação.

Com gravações previstas para 2017, a primeira será tocada por ninguém menos que Afonso Poyart, diretor responsável por Mais Forte que o Mundo, longa sobre o lutador de MMA José Aldo que foi uma das grandes bilheterias de 2016. Antes disso, o personagem ganhará  uma origem em forma de série de TV, já fechada com um canal de sinal fechado que, por questões contratuais, não foi informado pelo criador. Já o desenho será o spin-off de um agente federal caçando o Doutrinador. Outro fator bacana sobre o processo de criação do Doutrinador nas telonas é que Cunha está por trás dos roteiros para, como diz o próprio, manter a essência do personagem.

Todas essas inovações podem apresentar ao cenário cultural nacional, que nos últimos tempos tem apostado em novos gêneros, os mesmos trilhos que fazem estúdios faturar bilhões com personagens da Marvel e DC Comics, por exemplo.



"O plano de dominação mundial é que o Doutrinador já iniciou esse processo [de criar o gênero de ação e aventura]. Eu mostrei que estamos na melhor fase de produção da história. Estamos com artistas e quadrinistas fazendo coisas bacanas. O HQ é uma fonte de conteúdo gigantesca e eles não se atentavam a isso, uma vez que o quadrinho nacional é um nicho pequeno. Agora que abri o olhos das produtoras, eles já estão conversando com diversos outros autores. Fico muito feliz de abrir uma porta, pois tem outros dois ou três bem pop já com contrato adiantado", explica o criador.

Ou seja: se os super-heróis já dominam as produções norte-americanas, agora eles também estarão aqui. Ainda bem,

Confira Também...

0 comentários