Jornada nas Estrelas:Saiba um pouco mais sobre Jornada nas Estrelas IX: Insurreição

Então, bem vindo ao começo do fim do universo Prime (Antes do Reboot) nos cinemas, com o filme Insurreição considerado por muitos um dos piores filmes da franquia.
Insurreição foi o filme mais caro de Jornada nas Estrelas até então, custando cerca de 58 milhões de dólares e arrecadando cerca de 112 milhões, indo aos cinemas em 1998, sendo assim um dos filmes menos lucrativos da franquia, mesmo assim o que afetou mais ele foram suas diversas criticas negativas tanto por críticos de cinema quanto por fãs, a sua própria historia foi requentada de um episodio da Nova Geração ( o que sempre gera problemas em um filme requentar algo que já foi mostrado em um episodio de tv), devido ao sucesso de Primeiro Contato,  Jonathan Frakes (O comendante e primeiro oficial Riker) retorna na direção, porem o diretor dessa vez não teve envolvimento no roteiro, ficando a cargo do novato Michael Piller que nunca teve envolvimento na franquia de Jornada nas Estrelas até então.

Na historia os Baku são uma raça de alienígenas virtualmente imortais, que param de envelhecer a partir dos 18 anos e começam envelhecer mais lentamente, eles vivem nesse planeta porque a radiação os torna imortais, eles então decidem se livrar de toda a tecnologia, apesar de terem conhecimento sobre ela, um grupo da Federação está observando o planeta em segredo a fim de fazer pesquisas sobre essa radiação, porem Data (Brent Spiner) expõe o centro de pesquisa e ao que parece seu chip mental está com problemas, Picard (Patrick Stewart) e a Enterprise são chamados para ajudar na situação e resolvem tudo, porem um plano acaba se revelando da Federação extrair a radiação e expulsar os Baku do planeta para que assim possam dar juventude eterna para todos, bem como escolher quem vai ter ela, Picard e a Enterprise são contra essa atitude e começam uma insurreição para expor as ações da parte militar da Federação para seus políticos, porem um grupo de alienígenas (que vieram dos Baku) e estão morrendo de velhice estão dando novas armas para a Federação e querem a radiação para continuarem vivos, eles então matam o Almirante o que dá toda a desculpa para Picard e sua tripulação combaterem eles.

O filme foi duramente criticado por ser uma aventura requentada da serie da Nova Geração, onde Picard resolve tudo em 10 minutos, mesmo sendo uma historia parecida, apesar de no episodio ninguém ter ficado imortal por estar naquele planeta, o tem de que se livrando da tecnologia podemos viver um estado mais puro e que a tecnologia está nos matando pode ser algo que seja atraente para muitas pessoas, mas destoa completamente da visão de Jornada nas Estrelas, onde a tecnologia sera algo que vai salvar a humanidade e com ela iremos suprir nossas necessidades mais básicas, buscando no futuro a nos aprimorar, talvez por isso a ideia desse filme seja tão duramente criticada, as atuações são boas apesar de bem inferiores a Primeiro Contato, já que não possuem muito no que trabalhar, a equipe de produção trabalhou muito bem no filme, até mantendo um padrão para toda a produção, os vilões apesar de terem boas atuações são muito fracos devido ao material dado a eles, sem falar que o tema de relocar 600 Bakus em troca de aumentar a vida de Bilhões de seres da Federação tem uma resposta muito simples e usada no episodio que foi requentado onde Picard reloca todo mundo, afinal vai beneficiar toda a população da Federação em detrimento de 600 pessoas que vão deixar de ser imortais, dando pouco peso e credibilidade as ações da tripulação da Enterprise.

Eu acho um filme muito fraco, porem ainda mantem um pouco do espirito de Jornada nas Estrelas.

Confira Também...

0 comentários