TWD: O Paradoxo do Ser Humano!


Pergunta: Num apocalipse zumbi, o que mataria mais o homem?

 a) zumbis 
 b) fome 
 c) homem

Sim, tão certo quanto as águas de março fecham o verão, é o fato de que o homem é o seu maior predador... independente da situação.

Se você está na internet, com certeza leu alguma notícia ou postagem falando sobre a nova temporada de The Walking Dead, aquela série baseado numa hq de mesmo nome que conta a história de um grupo de seres humanos que tentam sobreviver em meio a um apocalipse zumbi.
Resumidamente, a história é essa. Porém, quando você acompanha a série durante uma ou duas temporadas, rapidamente percebe que o seriado não é sobre pessoas sobrevivendo à zumbis - isso na verdade é bem simples. TWD é, basicamente, sobre seres humanos sobrevivendo à outros seres humanos... em meio a um apocalipse zumbi. E isto é mais interessante, reflexivo e paradoxal da história.


Desde o desenvolvimento do primeiro arco (que tem o "Governador" como grande vilão), fica claro que o grupo de protagonistas não luta contra os zumbis, ou pelo menos, não são os comedores de carne humana que fazem os maiores estragos. O paradoxo aqui é enorme: mesmo com a população reduzida e as condições de vida beirando a precariedade - sem muitas surpresas - o ser humano consegue ser o seu maior carrasco. E tudo isso só vai se confirmando através das sagas subsequentes. 

Todavia, alguns podem imaginar que tudo isso é algo fictício, que não seria assim no mundo real. Será mesmo?


Vejam: há mil anos, na mesma Europa que agora se prepara para ingressar, próspera e unida como nunca, no terceiro milênio do calendário cristão, os homens viviam o pior dos mundos. O irreversível desmoronamento, século após século, do que ainda restava da civilização greco-romana, depois do fim do Império Romano do Ocidente, no século V, transformara o território europeu em campo de batalha onde gerações sucessivas se guerreavam interminavelmente — visigodos e vikings, bretões e saxões, vândalos e ostrogodos, magiares e eslavos,um sem-fim de povos que não por acaso entraram para a História sob a denominação coletiva de “bárbaros”. Além da violência, a miséria, a ignorância e a superstição recobriam a Europa na marca do ano 1000.

Sim, há mil anos a população da Terra era reduzida em comparação à atual, porém, isso não era impedimento para que homens guerreassem por terras ou simplesmente por ego. Não é algo ilusório, está na história. O ser humano é o mais irracional dos animais racionais. Isso porque os livros nos dizem que o homem é único racional entre todos. Mas o que tem de racional em matar o seu semelhante por qualquer razão?

Não dá para saber se é intencional, se é exatamente este o objetivo, mas, TWD mostra que a maldade contra a sua própria raça é algo intrínseco no ser humano; que, mesmo tendo um mar de espaço livre, se houver mais de um homem, com certeza haverá uma guerra e o número de "homo sapiens" será reduzido em algum momento.

"O maior lobo do homem, é o próprio homem!" Ribeiro, Elidiomar.

Até a próxima