Pokémon: A Síndrome de Lavender Town


Em 1996 saiu para o Game Boy um jogo que revolucionou a forma como jogamos vídeo game nos portáteis, seu nome é Pokémon, e suas duas primeiras versões, Red e Green. O game conseguiu salvar o portátil da Nintendo do fracasso e instantaneamente se tornou um dos líderes de venda no Japão. Seu sucesso estrondoso se deu ao fato de se poder trocar os monstrinhos com os amigos através do cabo Game Link. Além disso o jogo foi dividido em duas versões, e cada uma continham monstrinhos de bolso exclusivos

A fórmula é simples, os criadores misturaram o melhor de Final Fantasy e Dragon Quest Monsters. No jogo nós encarnamos um treinador iniciante e precisamos cruzar todo o continente com o objetivo de se tornar o melhor treinador que já existiu . Todo grande sucesso, no entanto, sempre vem acompanhado como uma dose de polêmica, e essa é das grandes.

Song of the Death

O sucesso de Pokémon atingiu todas as faixas de idade, mas principalmente as crianças, que finalmente poderiam explorar um amplo espaço virtual no jogo sem se colocar em risco,  o que, a princípio, é um alívio para os pais e mães do mundo todo. Muitos  jovens passavam várias horas passeando por Kanto e capturando Pokémon. Mas uma coisa estranha começou a acontecer. 

Os casos de suicídio infantil começaram a aumentar no Japão, e ninguém sabia exatamente o motivo. Foram vários  incidentes ocorridos em um curto espaço de tempo e quase todos eles tinham uma coisa em comum, as crianças estavam jogando uma das versões originais do jogo(Red ou Green). Curiosamente todos os saves estavam na cidade de Lavender.

Muitas pessoas ignoraram fato, mas o número de aparelhos com essa peculiaridade ia crescendo exponencialmente, então resolveram fazer uma investigação mais profunda na canção  que tocava ao entrar na  mapa da cidade. Os técnicos então descobriram que as ondas  proporcionadas por esta música modificavam o funcionamento de certas partes do cérebro de algumas pessoas.

Essa modificação fazia com que seus cérebros entrassem em um estado próximo ao que é diagnosticado como depressão. Em outras palavras, pessoas mais susceptíveis  e de mente fraca acabaram sendo influenciadas, algumas sentiam simplesmente  dores de cabeça e outras  chegavam ao ponto de cometer atos extremos.

Os efeitos da canção

Muitas pessoas acusaram a Nintendo de encobrir esse “problema” na música tema de Lavender, tanto que no lançamento americano ela foi ligeiramente modificada, para que os mesmos problemas não acontecessem em outros países. 

Por outro lado, uma parcela dos fãs acredita que essa história da música causar suicídio seja meramente um rumor. Ou ainda, que não passa de uma grande farsa, como as histórias de horror que sempre vem à tona nos períodos próximos aos dias das bruxas. 

Uma coisa que dificulta a confirmação  quaisquer das teorias apresentadas é a barreira da linguagem. O japonês é uma língua muito específica e com três tipo de alfabetos, logo, para se compreender um texto neste idioma é necessário dominá-lo para só averiguar a veracidade das informações. O problema é que o fato ocorreu há 20 anos atrás. 

Porém fica uma questão, se a história é realmente uma farsa, quais motivos a Nintendo teria para modificar, ainda que quase que imperceptível, a canção? Provavelmente, nunca teremos uma resposta concreta sobre o que realmente aconteceu. A única coisa que sabemos com certeza é que o compositor da música original, Junichi Masuda, hoje têm um cargo de extrema importância dentro da franquia. Ora, mas como um músico alcança um cargo tão elevado? Isso também é um mistério, mas esse fica para uma próxima vez.


Revisão: Manoel Siqueira