DC: Coisas que poderiam ser feitas para melhorar seu universo cinemático


Então, por mais que algumas pessoas gostem do universo dos cinemas (e tem todo o direito de gostar), existem certas coisas que não deixam os filmes da DC serem acessíveis para a maioria das pessoas (e dos fãs de quadrinhos), não vamos tratar aqui da direção dos filmes, mas sim dos roteiros e como simples mudanças podem beneficiar o universo cinemático da Dc.
Existe muita pressão em cima do filme da Mulher Maravilha, não só por ser o primeiro filme solo de uma super heroína no cinema na era moderna (sim houveram filmes solos de heroínas de quadrinhos antes, mas essa é a matéria para outra postagem), mas também pelo fato dos filmes da DC até agora terem divido opinião entre os fãs e o publico dos cinemas, aqui iremos abordar os problemas nos roteiros e não exatamente na direção que os diretores resolveram dar aos filmes.

Os filmes da DC até agora tem se preocupado mais em marketing do que o crescimento dos seus personagens, entenda as pessoas vão ver um filme do Super Homem ou do Batman, não importa exatamente a visão dele, mas para alguém se importar ou se interessar com um personagens é necessário ver o crescimento dele e a transição que ele sofre no filme, a Warner assume que nos vamos nos importar com uma franquia cinematográfica porque nos já conhecemos os personagens medalhões como Super Homem, mas eles se esquecem que a maioria das pessoas se interessa por versões anteriores do personagem seja no cinema ou nos quadrinhos, para um universo cinematográfico funcionar nos também temos que gostar da versão criada no cinema, o que parece tem sido difícil para a maioria das pessoas, a ideia de um universo cinematográfico vem de que gostamos dos personagens e gostaríamos de ver eles interagindo entre si.

O Universo Marvel nos cinemas funcionou até agora mesmo tendo em sua maioria filmes medianos, porque as pessoas aprenderam a gostar dos personagens cuja maioria eram completamente desconhecidos antes de suas participações no cinema, isso porque a Marvel na maioria de seus filmes criou um arco de transição para eles, as historias são levadas pelos personagens e nosso investimento nos personagens vem de nossa empatia por eles, essa empatia é feita durante a transição deles, vamos dar uma olhada por exemplo entre o Homem de Aço e o Homem de Ferro.

O Homem de Ferro sempre foi um personagem meio obscuro sem muitos fãs da Marvel (logico que antes de seu filme de 2008), fora do mundo dos fãs de quadrinhos poucos sabiam se quer que ele existe, em seu filme nos conhecemos Tony Stark que é um babaca arrogante que é motivado por seus desejos egoístas, é atacado por terroristas e quase morre, ao escapar dessa ele faz duas grandes mudanças em sua vida, parar de fabricar armas de destruição em massa e tentar ser uma força do bem usando sua tecnologia, ele começa o filme sendo motivado pelo seu egoismo, mas ao adquirir novas informações durante seu filme ele decide mudar, se tornar uma pessoa melhor ou pelo menos usar melhor as habilidades que possui, mas ele muda muito quem ele era antes e depois de tudo que aconteceu com ele, uma pessoa ruim que vira uma pessoa boa é um modo clássico de se contar uma historia e funciona para atrair a empatia daqueles que estão vendo o filme, tanto que conseguiu fazer um herói B da Marvel se tornar o inicio de uma grande franquia e ainda ser um dos mais importantes personagens em seu universo dos cinemas.

O Homem de Aço é problemático, poderia me dizer qual é a grande mudança no Super Homem durante seu filme de origem? Desdo inicio o Super Homem salva pessoas heroicamente mesmo quando era criança ele salva um ônibus escolar, mais tarde ele salva os trabalhadores de uma refinaria, mesmo na cena em que ele mata o General Zod ele está ali salvando heroicamente pessoas, se ele não tem uma transição ou algo que o afetou profundamente, porque ele virou o Super Homem se ele sempre foi o Super Homem, como aconteceu o seu crescimento como personagem? A não ser que as pessoas achem que tirar a barba e colocar uma capa é um arco de personagem, ele até mesmo trata as pessoas que ele não gosta da mesma forma, inicialmente ele destrói o caminhão do caminhoneiro mal educado e depois no final destrói o drone do governo mandado para seguir ele.
Porque o Super Homem ajuda as pessoas?  Se ele dedica sua vida em salvar pessoas qual é a sua motivação em fazer isso? Mesmo quando criança ele está salvando pessoas, o filme nunca mostra quando ele percebe que é importante ou porque é importante usar seus poderes para ajudar as pessoas, seu pai adotivo diz para não usar seus poderes para ajudar pessoas mas fala que ele vai mudar o mundo um dia, nos nunca sabemos o que ele quer ou quais são suas motivações, parece que o roteiro foi focado em tentar dizer e nem mesmo cresce como pessoa durante o filme, porque então as pessoas iriam investir nele?

Faça um teste, imagine que você nunca ouviu falar do Super Homem e fosse ver o filme,  se o Homem de aço fosse a primeira vez que você viu ele, você se interessaria no personagem? Nos aprendemos quem é um personagem pelas escolhas que ele faz, em todo o arco de crescimento do personagem somos revelados a informações que levam ao personagem fazer uma escolha dramática que o mudará para sempre, em Batman Begins por exemplo Bruce Wayne se recusa a executar um criminoso  dizendo que "voltaria para Gotham e combateria criminosos como esse, mas não como um executor" nesse momento ele expressa o que ele acredita e ocorre uma transição no personagem que vem mudando desdo inicio do filme, mesmo que Bruce Wayne como Batman não consiga seguir isso ou não nos notamos uma mudança e crescimento do personagem durante o filme, até virar o Batman.

Outro momento é quando o Homem Aranha passa por um arco semelhante na origem de Sam Raimi, tio Ben diz a Peter Parker o papo da responsabilidade, Peter usa seus poderes de maneira egoísta, em seguida não para um criminoso que vai matar seu tio, naquele momento e não quando ganhou poderes foi que ele virou o Homem Aranha, para evitar que isso acontecesse com outras pessoas, isso é demonstrado de maneira simples mas eficaz no filme de Sam Raim, Homem de aço nunca dá um momento como esse em seu filme, ele nunca faz uma escolha que o define como personagem.

Em Batman V Superman podemos normalmente ver o Super Homem salvando pessoas, ao que parece não gosta do seu trabalho e Batman cujos métodos ele não aprova, ficando mais preocupado com o vigilantismo do Batman do que com os crimes cometidos por criminosos, acabando o filme morrendo se sacrificando para vencer um monstro, que parece tentar criar um crescimento para o personagem mas isso nunca acontece, deveríamos ligar mais para a morte dele e tentar estabelecer uma conexão mas nunca conseguimos.

Batman por outro lado nesse filme tem um arco de historia de crescimento, infelizmente é muito por cima mas existe, ele começa o filme odiando o super homem e querendo mata-lo, mas finalmente percebe que os dois estão do mesmo lado, o problema é que isso é depois de quase 2 horas de nenhum tipo de informação nova que mude sua personalidade de maneira eficaz a não ser Alfred falando que é errado querer matar o super homem, o momento de crescimento do Batman é quando ele percebe "ei aquele cara que salvou o mundo não é tão ruim assim", a desconfiança dele pelo Super Homem é bem trabalhada desdo inicio mas o pulo que leva ele a querer mata-lo é muito extremo para que a maioria das pessoas tenha empatia, mesmo assim existe um arco que deixa as pessoas favorecendo ter um investimento maior nele do que no super homem, cuja maior parte do filme parece apenas não gostar de ser um super herói, já batman está enfurecido e sofre um crescimento de personagem mesmo que superficial, mesmo assim os personagens ficam estáticos em crescimento na maior parte do filme, tanto que se poderia tirar todo o arco da Kryptonita e simplesmente o Batman ter uma na batcaverna, assim saindo direto na porrada com o super homem que não mudaria basicamente nada o filme.
Esquadrão Suicida tenta trazer investimento de personagens cujo foco de investimento é o Pistoleiro e Arlequina que ao contrario do Super Homem demonstraram personalidade, mesmo assim eles pecam no quesito crescimento, o foco talvez disso deveria ser de Rick Flagg e Amanda Waller, já os outros personagens seriam vilões que serviam a um proposito especifico da trama, talvez a Arlequina pudesse ser usada como tal, mas ao invés disso temos um arco do pistoleiro que é um assassino profissional que tenta criar sua filha que não gosta dele ser um assassino, mas o mais interessante seria ver uma cena dele contando e tentado explicar isso a ela, ao invés dele ser pego pelo Batman na frente dela e ela pedindo para ele não tentar matar o Batman.

Arlequina apesar de ter uma excelente interpretação da atriz que a interpreta é uma personagem estática na maior parte do tempo, ela quer voltar para o coringa durante todo o filme e é só isso, ai no final eles voltam a ficar juntos, o que é triste é que existe um grande arco que poderia ser desenvolvido, onde ela percebe que o coringa não vale a pena e que seria melhor abandona-lo ou tentar mostrar pelo menos o que fez ela gostar do coringa, sem falar de sua obsessão por ele, isso é mostrado apenas de maneira superficial sem qualquer tipo de empatia entre a personagem e o publico.

O pior desenvolvimento foi o de Rick Flagg cuja namorada é possuída pela bruxa Magia e vira a vilã do filme, o certo seria focar no drama do personagem querendo descobrir uma maneira de salva-la mas que acaba virando um secundário já que o Will Smith é muito mais legal e melhor ator do que o que o interpreta, ele deveria ser o principal do filme e deveria ser ele que destruiria a Magia no momento final mas isso acaba sendo deixado para o Pistoleiro um cara sem ligação emocional com ela.

O Esquadrão tem diversos personagens com personalidade e interessantes, mas o roteiro não nos deixa ter qualquer ligação com eles, acredito que se os personagens da DC que são muito mais populares que os da Marvel fossem melhor tratados, seja no seu arco pessoal e crescimento dando a eles personalidades, as franquias no cinema seriam um sucesso muito maior não só de publico mas de critica do que são agora, podemos debater o dia todo se os filmes foram bem sucedidos ou não em suas propostas de criação do universo, mas fica claro que esses aspectos dos personagens foi negligenciado, em toda sua ambição de criar algo grandioso a Warner se esqueceu que se vamos nos importar com uma historia precisamos antes nos importar com os personagens, para mim não importa o tom do filme mas a nossa capacidade de termos empatia e nos conectarmos com os personagens, suas motivações e seus crescimentos como personagens, espero que isso seja trabalhado nos filmes que estão vindo da DC como por exemplo a Mulher Maravilha;