Desaparecido no Acre ganha aplicativos de jogos

Desaparecido no Acre ganha aplicativos de jogos baseados em sua história 
Em um dos games, o usuário, representado por um avatar de detetive, precisa coletar os cadernos do estudante e desvendar o mistério  pode ser baixado aqui

O desaparecimento do estudante de psicologia Bruno Borges, de 24 anos, desde o último 27 de março, no Acre, tem dado o que falar. Além de já ter aparecido em diversos sites da mídia internacional, Bruno também é assunto recorrente dos internautas nas redes sociais. Após diversas especulações sobre paradeiro do jovem e o que significam os escritos codificados deixados por ele em 14 livros, agora o "menino do Acre" também está na loja virtual Play Store. Desenvolvedores de jogos virtuais criaram aplicativos para download gratuito, disponíveis para usuários do sistema operacional Android. Os jogos têm por base a história do estudante e a missão do usuário é, justamente, desvendar o mistério por trás dessa história.  

A descrição do aplicativo "Menino do Acre", do desenvolvedor de jogos "pontobarraGAME", explica: "Colete os cadernos misteriosos durante o jogo para no final conseguir desvendar todo o mistério do Menino do Acre. Seja rápido e tome cuidado para não morrer na lava!". De acordo com Filipe Barbosa Nunes, de 24 anos, cofundador do projeto, o jogo é divido em cinco partes, por meio das quais o usuário, representado por um avatar de detetive, coleta cadernos deixados pelo estudante para desvendar o mistério traçado. — Nós adaptamos um jogo virtual que já estava pronto e decidimos tentar de novo, relançando-o com base nessa história do Acre. Vimos o caso e ficamos muito curiosos — explica Filipe. 
O projeto foi criado em 2014, junto com o amigo Guilherme Castilho Casassanta, de 25 anos. Nesta sexta-feira, os jovens apostaram no aplicativo novamente, diante da repercussão da história na web.  — Também fico preocupado com o desaparecimento do rapaz, então esse não é o foco do jogo, mas, sim, o mistério dos cadernos. Estamos esperando um bom desfecho para essa história — contou Filipe, ressaltando ainda que o jogo faz referências a outros memes, como a "grávida de Taubaté". Os jovens haviam já criado inclusive um aplicativo baseado no meme "Já acabou, Jéssica?", que acabou viralizando nas redes. O aplicativo, por enquanto, só está disponível na Play Stores, mas, segundo Filipe, deve em breve também aparecer na App Store para download no sistema operacional iOS. Nas redes, os desenvolvedores do projeto salientam que o "Menino do Acre" é uma "obra de humor". "Esperamos que todo o mistério termine bem", afirmam.