Header Ads

test

Logan, "o Profissional" que tanto queríamos

A frase “Estamos ficando velhos, Magneto” (talhada por um colega redator de outro site nerd) nunca fez tanto sentido. Estamos no ano de 2017, e literalmente vivemos um presente semi distópico insistindo em acreditar numa doce utopia. Essa poesia lamuriante em muito se assemelha com os filmes ultraviolentos nascidos na década de 90, aonde uma sociedade suja por vezes era pintada sob a ótica de um herói (ou anti-herói) que a via com de um modo doce e lúdico.

Um salto para essa época cinematográfica foi dado este ano com o longa de ação Logan, aonde Hugh Jackman incarnou (talvez) pela última vez o nosso mutante com garras de adamantium favorito. Aclamado como o possivelmente o melhor filme da família X, o filme rendeu mais de 600 milhões e trouxe um sentimento agradável para quem queria ver um filme aonde o nosso Carcaju Sanguinolento fosse ele mesmo.
Laura é uma personagem forte lembrando Mathilda e Eleven
Interessantemente Logan tem ligações claras com um filme de 1994, dirigido por Luc Besson, conhecido nacionalmente como “O Profissional”, ou no original, Leon. O longa narra a história de Mathilda (Natalie Portman) que teve seus pais mortos por policiais corruptos e acabou amparada por Leon (Jean Reno), um assassino perturbado pelo passado que já havia esquecido como se viver a vida e acaba desenvolvendo uma ligação fraternal com a menina.
O Profissional é um filme com muitas camadas que mostra primorosamente a dificuldade que Leon tem com interações sociais, sua paixão por filmes antigos além de uma violência sem pudores que raramente é vista hoje em dia (e uma planta). No final, a trajetória toda do filme é culmina no sacrifício do protagonista para que Mathilda possa ter uma vida boa e correta, longe da violência que cercava ambos.
Logan após uma dura trajetória se vê sozinho no mundo após
a morte de seu amigo Professor X, mas finalmente consegue
abraçar os laços fraternais com Laura, dando um final digno e
poético ao personagem.
Em Logan, vemos Wolwerine inicialmente distante, unicamente apegado ao seu último amigo Professor Xavier, tentando sobreviver enquanto seus poderes são colocados a prova em meio ao envenenamento por adamantium. Eis que surge Laura, (a X-23) e essa assim como ele se apega ao professor X, enquanto este em tenta fazer ela conhecer filmes antigos e ter a vida pueril que merece como criança que é. O vilão físico do filme é X-24, um clone de Logan que abusa da metalinguagens mostrando a luta do personagem (já velho) contra ele mesmo mais jovem, mostrando que o próprio estúdio tem ciência que os dois primeiros filmes do mutante não foram tão bons quanto deviam. Em meio a todos esses fan services e violência maravilhosa, vemos o lento amadurecer a ligação fraternal entre Logan e Laura, que culmina no sacrifício do mutante bicentenário em prol da vida livre de laura,  dizendo para a garota que ela não deveria se tornar a arma que o projeto Arma X queria, e traçando assim um paralelo claro com Leon e sua redenção.



Vejam "O profissional" (e todos os filmes do Besson se puderem kk), re-assistam Logan, e aproveitem esses dois ótimos filmes tão parecidos e diferentes dentro das suas respectivas caixas.

(Só não vejam na NETFLIX, pois Leon sofreu cortes violentos no streaming, que chegam a prejudicar e muito a trama do filme).