Header Ads

test

DC SUSPENDE EDITOR EXECUTIVO ACUSADO DE ASSÉDIO SEXUAL

DC suspende editor executivo acusado de assédio sexual
Na última sexta (10), o BuzzFeed publicou uma matéria na qual três ex-funcionárias acusam o editor executivo da DC Comics, Eddie Berganza, de assédio sexual. Berganza era responsável pelas revistas do Superman
Os assédios aconteceram entre 2006 e 2010 e envolveram Liz Gehrlein Marsham, Joan Hilty e Janelle Asselin. A primeira afirma que estava trabalhando na DC a cerca de 3 semanas quando Berganza a encurralou, a agarrou e a beijou. Com as outras duas ocorreu episódios semelhantes e, segundo elas, o comportamento de Berganza era conhecido, de modo que quando uma mulher era contratada recebia um aviso para ficar longe dele. Janelle Asselin diz que as funcionárias fizeram uma queixa formal a DC Comics a respeito das atitudes de Berganza, mas que a empresa nada fez a respeito.
Agora, diante da repercussão da matéria da BuzzFeed, a DC anunciou na noite deste sábado (11) suspender Eddie Berganza e divulgou um comunicado
“DC Entertainment suspende imediatamente o senhor Berganza de seus deveres como editor da DC Comics. Haverá uma pronta e cuidadosa revisão dos relatos e alegações contra ele, e a preocupação com nossos talentos, funcionários e fãs é compartilhada. DC continua extremamente comprometida em criar um ambiente de trabalho seguro para nossos funcionários e todos os envolvidos na criação de nossas histórias em quadrinhos.”
Desde que surgiram as dezenas de histórias de assédio e abuso sexual cometidos por Harvey Weinstein, várias pessoas, sobretudo mulheres, se sentiram seguras para revelar o lado sujo do mundo entretenimento. A cada dia novos casos de comportamento predatório e de assédio sexual estão vindo à tona, envolvendo nomes importantes do show buziness, como Kevin Spacey, Brett Ratner, Louis C.K, Andrew Kreisberg e dezenas de outros.
Andrew Kreisberg, produtor da séries da DC na CW, foi afastado diante de dezenas de relatos de assédio na produção dos programas. Saiba mais aqui. E Gal Gadot ameaçou não fazer o filme da Mulher-Maravilha caso Brett Ratner, que responde a múltiplas acusações de assédio, continue envolvido com a produção do filme através de sua produtora que financiou parte do primeiro longa. Veja aqui.