Header Ads

test

Resenha HQ Fan: Paradise Police


Pensa num desenho errado...


Hoje estreou no Netflix mais um desenho pra adultos, Paradise Police, e com adulto, lógico que quero dizer violento e obsceno, e do jeito que o mercado está faturado desse tipo de coisa, é preciso pegar pesado de alguma forma pra se destacar... e eles conseguem.

Isso é exatamente o que parece

Dos mesmos criadores de Brickleberry, Paradise Police segue a mesma fórmula do antecessor (com personagens parecidos, inclusive), só que em vez de mostrar o dia-a-dia de uma equipe incompetente de guardas florestais na pior reserva imaginável, aqui temos o dia-a-dia de uma equipe incompetente de policiais na pior cidadezinha imaginável.

Tem até um episódio onde eles zoam a semelhança

O desenho já te prepara pro que estar por vir começando com uma cena onde um guri imbecil atira não uma, mas DUAS vezes nas bolas do próprio pai, enquanto ele e a mãe dividem um momento íntimo, e garanto que isso é só um gostinho.


Embora se suporte muito nesse tipo de piada, o desenho ainda arranja tempo pra uma crítica social, como o episódio onde o policial afrodescendente atira em si mesmo, o que se torna um escândalo internacional; ou o episódio de D&D, onde comparam as fantasias do jogo com as "verdades" da Bíblia; fora as muitas referências à cultura pop e piadas às custas de celebridades como Johnny Depp, Brendan Fraser, entre outros.


Assim como parece ser obrigatório no Netflix, a série possuí uma continuidade nos seus episódios e um sub-plot maior, mas nada que atrapalhe muito ver os episódios individualmente.


Se quiserem ver algo no formato Family Guy, só que com menos piadas aleatórias e muito mais obsceno, pra desligar o cérebro e rir muito, Paradise Police é uma excelente pedida.


Nota: 8,2

guest author area 51  Polvo Aranha
Gênio, bilionário, playboy, filantropo, amigão dos roteiristas... só que não. Twitter / Facebook