Header Ads

test

Como Capitã Marvel é Tóxico para o Feminismo


Apenas reflitam um pouco...


Como todo mundo sabe, estreou essa semana o filme da Capitã Marvel, que está causando muita polêmica. Muita gente está nervosa, acusando que estão perseguindo a película só por ter uma heroína mulher e muitos o defendem  o filme justamente devido a campanha feminista ao redor do mesmo. Essa história da perseguição não só não é verdade, e aqueles que realmente deviam reclamar do filme deveriam ser as próprias feministas. Por que?


Pra começar, razão da perseguição. Não, o motivo não é simplesmente "é porque a heroína é mulher e os machos frágeis se sentem ameaçados só de ver essas coisas". Isso se nota apenas observando outro filme desse ano protagonizado por uma heroína mulher, Alita: Anjo de Combate, que não chegou a sofrer nenhum boicote desse tipo. Também podemos confirmar isso vendo o caso outro filme de herói recente com protagonista mulher que não sofreu esse tipo de perseguição do público, Mulher Maravilha.


A razão da maioria das polêmicas, se você observar bem, se deve à comentários da atriz Brie Larson, protagonista do filme, que deram uma base forte à acusação dela odiar homens, e levou aos movimentos de boicote ao filme, que inclui até famosos como James Woods.


Notem que a causa desse boicote não é o filme em si, e sim sua interprete radical que já chegou à, por exemplo, comparar alguém pedindo o telefone dela (porque ela correspondeu à ele com um sorriso) com uma tentativa bem sucedida de assédio. O dicionário define assédio como "insistência inconveniente, persistente e duradoura em relação a alguém, perseguindo, abordando ou cercando essa pessoa" e apenas pedir uma única vez o telefone de alguém que correspondeu positivamente à você não pode nem ser classificado como insistente.


Além disso, o filme, que foi vendido como um verdadeiro manifesto feminista, apresenta um problema básico: ele é fraco. Não sou eu dizendo isso, e sim o público médio e a crítica. Basta ver o Metacritic ou fazer a média da nota da crítica e do público no Rotten Tomatoes para se chegar a essa conclusão. E é aí que chegamos ao grande ponto do filme. Muitas dessas criticas não são só de homens, como de mulheres também. Se representantes ambos os sexos estão criticando o filme, como ele está pode estar sofrendo perseguição de um lado?


A verdade é que a Marvel nunca sequer acreditou nesse filme. O orçamento dele é o mais baixo da história do estúdio (apenas 150 milhões) e ele foi lançado fora da época mais competitiva dos blockbusters (o verão americano). Pela própria crítica, vemos que o filme como um todo não tem nada de diferente, se prendendo aos mesmos clichês do estúdio e cometendo os mesmos erros e acertos dos outros filmes. Não há nada de especial ou único no filme, e seu único apoio até agora foi o discurso politico ao redor do mesmo.


Assim como Caça-Fantasmas antes desse, temos um filme aparentemente fraco que se apoiou numa politica que quem assistiu diz não estar tão presente. Por um lado temos pessoas cegas pelo ódio de uma atriz que sim, parece odiá-los de volta, e do outro pessoas genuinamente decepcionadas com o filme que prometeu muito e cumpriu pouco.


No fim a Marvel só tirou proveito do discurso feminista, que está "na moda" para empurrar um produto de qualidade questionável pro grande público. Eles não se importam com a causa feminista ou representatividade (caso o contrário o filme da Viúva Negra que os fãs imploravam já teria saído anos atrás), apenas tentaram tomar carona num movimento sem sequer investir muito nele.


Defender o filme cegamente, acusando aqueles que não gostaram de forma generalizada (pode até haver um preconceituoso sim, mas não são todos) não contribui para a situação, pois a mesma defesa pode levar à comentários mal pensados e carregados de ódio que acabam fazendo o público médio desenvolver uma antipatia pela questão feminista, um ponto chave do filme segundo a propaganda do mesmo e fonte de toda a discussão.


Um exemplo é a polêmica recente do League of Legends que terminou com uma feminista acusando todos os jogadores homens de serem "nerds autistas", o que não só é um uso pejorativo de uma doença séria (o que acaba se tornando por si só preconceito de quem disse isso) como ainda essa generalização leva aos jogadores de LoL que não são contra mulheres a desenvolverem uma antipatia contra feministas, afinal eles também foram os alvos dessa ofensa.


Se você acredita mesmo na causa feminista, faça um favor à si mesma e ao próprio feminismo, e não aceite que obras ruins representem vocês. Sejam mais críticos, pois se vocês financiarem cegamente produtos ruins só por se dizerem feministas, mais e mais desses produtos surgirão, e logo todo o movimento feminista como um todo deixará de ser levado à sério, sendo rotulado apenas como sinônimo de... bem...

post de opinião pessoal

guest author area 51  Polvo Aranha
Gênio, bilionário, playboy, filantropo, amigão dos roteiristas... só que não. Twitter / Facebook