O fim de Fábulas ...

Entre o dia 17 e 22 de Junho deve chegar as Comic Shops americanas o último volume de Fábulas pela DC/Vertigo a edição #150, um número emblemático de encerramento da mais longeva série do selo. Iniciada em 2002 Fábulas completa 13 anos de edições mensais, e conta com 21 edições encadernadas. O criador da série, Bill Willingham, já havia anunciado em 2013 o fim da mesma para este ano. A estratégia da editora foi lançar a edição #149 em abril e segurar por esses dois meses a produção de um encadernado que corresponde tanto a edição 22 como a #150 em 160 páginas, com o fechamento oficial. Anteriormente o mesmo foi feito com as edições #50 e #100, dobrando a quantidade de páginas. A edição terá ainda participação de nomes como Neal Adams, Michaell Allred e Gene Ha dentre outros tantos convidados.


Com o fim dessa espetacular série da Vertigo, o HQFan irá fazer uma série de postagens relacionadas as tramas, spinoff e todo o material de Fábulas desde o seu início (começando agora). Então quer saber mais sobre ? Aventure-se:


Os autores





Bill Willingham  (Roteiros)- o criador e roteirista principal de Fábulas, Willingham trabalhou com histórias do universo de Sandman em especiais antes de aventurar-se em sua criação. Com o sucesso de Fábulas, continuou trabalhando em enredos de magia, lendas e contos em Casa dos Mistérios (também da Vertigo), além de se envolver com os Spinoffs da série.


Mark Buckingham  (Arte) - Apesar de Fábulas contar com muitos artistas convidados ao longo de tantas edições, o desenhista regular é Mark Buckingham que ilustra a grande maioria dos arcos. O artista britânico já abrira caminho em trabalhos com Neil Gaiman em Miracleman (pós Alan Moore) e Morte.




 James Jean / João Ruas (Capas) - Praticamente os dois artistas dividiram-se nas artes da capa da série, Jean foi o capista regular até a edição #81 e Ruas assumiu seu lugar mantendo-se até então. Eventualmente outro Buckingham contribui com a arte da capa ou com os layouts para a confecção.

Lendas no Exílio (1º arco)

Fábulas começa como a maioria das séries, situando seus leitores acerca da realidade e ambiente dos personagens apresentados. Portanto o 1º arco com as 5 edições iniciais é apenas um divertido vislumbre da proposta do projeto. Como não podia ser diferente a história começa com 'Era uma vez', mais precisamente em Nova York no chamado mundo 'Mundano' pelas Fábulas. Lá uma comunidade de Fábulas possui uma administração que cuida dos interesses de seus iguais. Eles vivem ocultos por feitiços que os permitem viver entre humanos. É em meio a essas descobertas que João (do pé de feijão), avisa o Lobo (dos 3 porquinhos) que a irmã da Branca de Neve foi assassinada. E assim tem início a trama de Lendas no Exílio, desvendar o que ocorreu na cena do crime.


Em meio as tratativas de resolver o caso, vamos conhecendo melhor alguns personagens (que nesse momento da série não tenham talvez a devida importância), como o 'Garoto Azul' ajudante da Branca de Neve, ou o Príncipe Encantado. É interessante como Willingham mostra as fábulas interagindo com pessoas comuns, o Príncipe Encantado por exemplo tem o poder de seduzir qualquer mulher e obviamente com duas palavras ele 'cata' a atendente da lanchonete. Outros fatores são as personalidades muito bem construídas de cada personagem, como o próprio Príncipe sendo o mulherengo cafajeste já que não pode ficar com apenas uma mulher (e também pelo fato de que Willingham unificou todas as lendas que citam príncipes em apenas um personagem, fazendo-o o cara mais pegador da literatura).



Ainda nesse arco, conhecemos também Barba Azul, o noivo prometido de Rosa Vermelha (a irmã desaparecida de Branca de Neve a qual julgam ter sido morta). Em meio aos quadros principais rostos desconhecidos nesse principio de jornada, fixam-se em nossa mente, como o caso de Bufkin o macaco de asas ( de Mágico de OZ).  Um dos pontos altos desse arco é o dia da recordação, um momento em que as fábulas se reúnem para lembrar o fatídico dia que partiram das 'Terras Natais'. Assim somos apresentados ao vilão da história, afinal que lenda ou conto não tem um famoso vilão ou tirano? Aqui é o retumbante 'Adversário', sem muitos detalhes ele expulsou as fábulas de suas terras, e elas num ato desesperado vieram ao mundo Mundano para se livrar dele. Assim foi instituída a Anistia Geral, uma forma de perdoar todos pelos feitos antigos (como matar gigantes, ou os 3 porquinhos). O último intuito desse arco, não é descobrir o assassino de Rosa Vermelha, e sim fortalecer a relação entre Bigby o Lobo e Branca de Neve, demonstrado ao longo de todo roteiro enquanto ambos destrincham as pistas do crime.

 Uma curiosidade final, esse primeiro arco foi desenhado por Lan Medina e não por Mark Buckingham, que ingressou na edição #06 para nunca mais sair. Porém a arte não deixa a desejar. Outra observação são com relação aos alívios cômicos e a preparação de personagens que serão mais detalhados ao longo da série, como o caso da Bela e a Fera e Pinóquio (que se queixa por nunca sair da puberdade nem transar com alguma mulher, assim como aquele membro do HQFan...). Para o primeiro post é isso, semana que vem tem mais....



Confira Também...

0 comentários