Liga da Justiça Deuses e Monstros - Review

Após ver a nova animação de Bruce Timm e Alan Burnet para a DC, é hora de falar um pouco sobre o que foi bom ou ruim dela. Esse review tem Spoilers portanto, leia por sua conta e risco. 


A ideia de Deuses e Monstros é subverter o que conhecemos da 'trindade' de heróis DC, Superman, Batman e Mulher Maravilha. Portanto, trata-se de uma história alternativa e um pouco mais 'pesada' que as animações tradicionais da editora (principalmente nas adaptações de arcos de HQ).
Inicialmente o filme já mostra a Liga da Justiça, (formada pela Trindade mencionada), bem estabelecida enquanto uma ameaça aparentemente alienígena começa a eliminar os principais cientistas da terra. Nesse início, temos uma certa semelhança ao episódio de estreia do desenho da Liga, em termos do visual do vilão/ameaça.




Homenagens aos personagens da linha tradicional não faltam, Victor Fries ( o Sr. Frio) é um dos cientistas mortos num atentado na antartica. Depois é a vez de Ray Palmer (Elektron) e por último Silas Stone (Pai do Ciborgue). A questão é que, a Liga acaba sendo incriminada pelos assassinatos desses cientistas. Assim Batman entra em cena para ajudar a montar o quebra-cabeças  que formou-se, envolvendo Will Magnus ( o mentor dos Homens Metálicos), um dos alvos.  É nesse ponto que somos apresentados a origem dessa versão do Homem-Morcego, que aqui é Kirk Langstrom ( o Morcego Humano no universo normal) e por sua vez mais próximo da acepção da palavra. Ele realmente é um vampiro e inclusive usa isso como trunfo contra seus adversários.


Assim como Batman, a história da Mulher Maravilha também difere do original, ela é uma sobrevivente de um golpe em Nova Gênese que vitimou Darkseid, sendo neta do Pai Celestial, e condenada a viver exilada na Terra. Já o Superman, apesar de conservar seus poderes, difere muito em termos visuais. Aqui ele é filho de Zord que matou friamente Jor-El. Enquanto Luthor aparece na trama no momento em que a Liga pede 'água' para ajudar a limpar seu nome. Luthor por sua vez foi quem encontrou a nave caída do Superman e teve acesso direto a tecnologia Kryptoniana.



Chega de falar da trama, apesar de ser a típica quem matou e colocar assim a Liga contra a terra por terem sido incriminados, Deuses e Monstros merece elogios. A história dos três heróis é colocada  no enredo sem comprometer o andamento do filme. E as cenas mais fortes (de assassinatos) são incríveis, dando mais seriedade a animação, uma liberdade que não existia obviamente no desenho da Liga. Aqui vemos corpos rasgados ao meio e sangue, dando mais realidade ao ambiente. Apesar de uma direção segura de Timm, como sempre, a proposta de ser mais pesado não se concretiza. O que não chega a ser decepcionante, mas não foi por mostrar mortes de maneira mais explícita que o longa tornou-se mais sombrio ou adulto. A trama como mencionada antes, não reinventa a roda, apenas é bem conduzida sob uma premissa rasa. É como assistir dois bons episódios do desenho da Liga em terra alternativa, como aqueles contra os Lordes da Justiça. Se você tem uma hora vaga, coloque na lista, é um bom divertimento sem grandes expectativas.


Confira Também...

0 comentários