Jornada nas estrelas e a idealização dos EUA


Jornada nas estrelas apresenta uma sociedade avançada, onde todos os problemas sociais hoje apresentados foram superados, mas em grande parte possui novos problemas envolvendo outras raças a serem superados, usando elas como metáforas para os nossos problemas atuais.

A Federação nada mais é do que a idealização dos valores americanos, aos quais a sociedade americana foi fundada, em uma terra de liberdade e entendimento, a qual criou a mais antiga democracia moderna e como tal é vista como a grande responsável pelas mazelas e proteção do mundo.

É uma sociedade interestelar que alem dos seus valores igualitários, valoriza a meritocracia e o aspecto militar de sua sociedade, bem como o cientifico.

Em Jornada nas Estrelas em todas suas series podemos ver a responsabilidade e liberdade que seus militares possuem sobre a sua sociedade perfeita, superando muitas vezes a autoridade politica da Federação.

A Federação possui membros de diversas raças alienígenas fazendo parte dela formando uma especie de Onu intergalática, mas também interagindo com outros governos de fora dela como o Império Romulano e os Cartassianos, os Klingons mais tarde fariam parte dela.

Assim como nos EUA e o resto do mundo, a influencia da Federação também exportou a cultura Humana, fato que diversos mundos lutam para preservar sua cultura, alguns lutam para não fazer parte da Federação por esse motivo, já que a Federação tornou essas culturas consideradas primitivas e barbaras se comparadas com o padrão cultural Humano que viria a ser a base da Federação.

Em termos de valores os EUA idealizados em suas origens tem fortes valores de igualdade, direitos individuais, além disso muitos americanos tem fé na base de valores que moldaram a sociedade americana, bem como ainda é um dos polos tecnológicos, de inovações que ecoam por todo mundo, sem falar os aspectos culturais dos EUA que se difundiram por todo o mundo.

Como a Federação é uma versão idealizada dos EUA eles retiraram grande parte de seus conflitos sociais e criaram conflitos globais que moldaram a Terra pré primeiro contato para estarem dispostas a interação com os Vulcanos, como as guerras eugênicas e a 3 Guerra mundial, dois conflitos que mudariam o formato da terra, mas poderiam ser comparadas a Guerra de independência americana e a Guerra civil americana, dois conflitos que mudaram o formato e existência dos EUA.

Assim como as culturas do mundo tentam preservar sua própria cultura sob a influencia da cultura americana nas sociedades globais, as raças alienígenas tentam preservar suas culturas perante a cultura humana criada pela federação, isso foi mais explorado quando os Klingons entraram na Federação, sua sociedade é considerada arcaica e primitiva, mas foram um vasto Império capaz dos mesmos triunfos tecnológicos que a Frota Estelar humana, o mesmo dilema de diversos povos acontece com a grande influencia do ocidente americano e seus valores judaico/cristãos embutidos em sua cultura.

O mesmo dilema acontece com os Klingons  que inicialmente foram criados como uma especie de metafora aos Russos e sua União soviética, e depois foram adquirindo uma cultura parecida com aos dos Cossacos Russos e mais tarde até pegaram uma parte da cultura japonesa já nas series mais novas, os Klingons tem uma cultura de honra, capazes de se matar na falta dela, essa cultura é considerada extremamente primitiva segundo os olhares da Frota Estelar, mais ou menos como nos observamos quando japoneses praticam rituais de suicido até hoje no chamado vale dos suicidas no Japão, perante a nossa cultura ocidental isso é visto como algo errado, mas na cultura deles é aceitável, mas ela tem mudado com os valores ocidentais, os mesmo valores que adentram a nossa cultura no Brasil.

Como o paradoxo da nossa sociedade o Klingon Worf  é permitido praticar sua cultura, mas seu dever com a Frota Estelar deve sempre superar o seu dever com o seu código Klingon, mais ou menos o que acontece com culturas como as nativo brasileiras, as quais algumas tribos ainda matam crianças que nascem gêmeas ou praticam rituais barbáricos de passagem para a fase adulta, podem ser muitas vezes considerados primitivos, mas quem somos nos para interferir nelas, afinal é a sua cultura, porem nossos valores nos fazem ver aquilo como bárbaro e querer interferir pelo bem maior, o mesmo ocorre com a Federação em relação com conflitos com outras sociedades galácticas que não entendem seus valores.

Apesar de ser uma sociedade considerada "perfeita" que acomoda todo o tipo de diversidade, diversas vezes podemos ver capitães ou lideres da Frota Estelar dizerem que existe um "limite" para a diversidade cultural, sendo caso ela conflitar com os valores da Federação.

Worf assim como Spock (da serie original) representa o conflito cultural de valores que existem dentro da nossa sociedade moderna, valores e liberdades individuais são muitas vezes colocados de lado pelo bem da Federação, esse problema ainda é atual nos EUA e no mundo ocidental.

Será que nossos valores idealizados de liberdade e aceitação podem superar conflitos gerados por nossa sociedade atual? Worf assim como Spock trazem esse problema em foco durante os episódios que apresentam suas diferenças culturais.

No episodio de Jornada nas Estrelas a nova geração chamado Half Life a Federação é confrontada com esse dilema novamente, quando um cientista decide cometer eutanásia voluntaria pois na sua cultura pessoas com 60 anos devem fazer isso, mas existe um conflito sobre a santidade da vida devido aos valores Humanos, deixando um conflito entre as liberdades culturais versus valores humanos ou poderia se dizer valores ocidentais? O mesmo conflito aconteceu com o Liberalismo americano atual, que precisa tentar aceitar e proteger valores de sociedades completamente antagônicas aos valores ocidentais.

Com cada novo membro para a Federação, mais os valores da Frota Estelar basicamente humanos são absorvidos por elas, deixando cada vez mais um desafio para essas sociedades manterem suas culturas, bem como a Federação continuar com seus princípios de igualdade.

O compromisso que a Federação possui em ajudar a raça Bajoriana que é extremamente religiosa, após anos de ocupação e campos de extermínio dos Cardassianos pode ser comparado a criação de Israel bem como a criação de um conflito com outros, somente por acreditar que de acordo com seus valores permitir a existência de tal é o correto.

A Federação é constantemente testada e julgada por suas ações em ajudar outros povos ou interferir em outras culturas, assim como nos julgamos os EUA por suas intervenções, sendo que tanto a Federação quanto os EUA agem pelo mesmo impulso de valores que muitas vezes pode ser catastrófico para eles e o mundo a sua volta.

Talvez um dos mais marcantes momentos de Jornada nas Estrelas seja quando os Klingons decidem aderir a Federação pelo fato de seu mundo natal estar destruído assim como grande parte de sua força militar, muitos membros da Federação e dos Klingons são contra terminar seculos de hostilidades entre as duas sociedades, simplesmente por odiar uns aos outros, isso não seria tão diferente quanto foi o conflito em aceitar o fim da União Soviética, nem a ideia de membros da Federação de banir os Klingons do espaço da Federação diferente da ideia de Trump de construir um muro para dividir o espaço entre México e os EUA.

No final assim como os valores dos EUA, os valores da Federação são idealizados e utópicos, muitas vezes não sendo atingidos por ambos, mas é algo que guia não só sua sociedade, mas outras sociedades a atingirem essa utopia como um sonho que vale a pena lutar.

Como todos os produtos da ficção Jornada nas Estrelas possui em sua base os valores culturais do ambiente em que seus criadores vivem, sendo usados como espelho de sua sociedade.

Confira Também...

0 comentários