São os coalas, e não os cangurus, Dudu Paes!


Então, neste domingo, dia 21 de julho de 2017, foi aberta a Grande Vila Olímpica no Rio de Janeiro - local onde ficarão a maior parte dos atletas que participarão das olimpíadas. Mas, o que era para ser um momento de festa, tornou-se algo constrangedor com a saída da delegação australiana do local.  Os atletas e representantes australianos alegaram que a infraestrutura do local apresenta muitos problemas - dentre eles, banheiros sem vasos sanitários - e que estes poderiam trazer riscos para a integridade física dos competidores. 

Austrália Vila Olímpica (Foto: David Abramvezt)

Prédios da Vila Olímpica apresentaram problemas de acabamento (Foto: G1)

Dispositivo de incêndio estava sem mangueira (Foto: G1)

Prédios têm vazamentos de água e sujeira, segundo atletas e voluntários (Foto: G1)

Então, mais rápido que o Flash pegando o Bat-rangue naquele trailer (sonolento) da Liga da Justiça, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, respondeu aos australianos:

"É natural que você tenha algum tipo de ajuste a fazer, mas vamos fazer os australianos se sentirem em casa. Estou quase botando um canguru aqui na frente para pular na frente deles aqui (...) Mas as reclamações são legítimas”


Bom, vamos aos fatos. A verdade é que este tipo de coisa não é surpresa para nenhum brasileiro. Não precisaria ser um gênio para saber que os 37,6 bilhões destinados para as olímpiadas, não seriam suficiente para entregar algo digno e totalmente funcional. Sabem como é, estamos no Brasil, se não houver desvio de verba, não tem porquê fazer o evento. 

Pois é, até aí nenhuma surpresa, já esperávamos tal vexame. Mas o que acaba mesmo dando aquela vergonha - digna da dancinha do tiozão do churrasco nos almoços de família - é a declaração do prefeito da cidade olímpica. O representante municipal pode escolher milhões de palavras, e mesmo assim consegue dar aquela entrevista bizarra. "Oh, Dudu, sabemos que o político é a representação dos seus eleitores, mas não precisa ser tão asno quanto aqueles que te colocaram no poder. Disfarça!"

Sério, a entrevista do prefeito e todo o seu pachequismo beiraram ao ridículo. Para não ser tão injusto, assistindo à entrevista, percebe-se que quando falou do canguru, o prefeito tentou fazer uma piadinha. Tentou ser engraçadinho. Mas, é claro, falhou fortemente. Ainda assim, convenhamos, não precisava. Se você estudar só um pouquinho, verá como a Austrália é um país sério e que leva o esporte ainda acima de um patamar da seriedade. E que, jamais, jamais, o "jeitinho brasileiro" será considerado algo aceitável numa organização de um grande evento.


E só para concluir - e ajudar o querido prefeito a passar menos vergonha na próxima vez: se ele queria agradar os australianos com algum animal símbolo do país, deveria ter citado o coala, e não o canguru.

Sim, mesmo que a maioria - de forma estereotipada - associa os cangurus ao país da Oceania, a verdade que os australianos gostam e se identificam mais com os coalas; e isso tem explicação:


De fato, existem mais de 60 milhões de cangurus na Austrália, todavia, o que muitos não sabem, é que estes bichos, em alguns momentos, são vistos como pragas no país. Em 2003, o governo australiano liberou o extermínio de milhões de cangurus, além das temporadas anuais para caça à espécie, tudo isso sob a alegação de que é necessário conter a superpopulação dos animais. 
Por outro lado, diferente dos cangurus, o coala é querido por todos. E, Além de ser exclusivo da Austrália, o bichinho corre um grande risco de extinção. Existem vários projetos que visam garantir a continuidade da espécie coala dentro do país. É por essas e outras que, mesmo não gostando de esteriótipos , os australianos se identificam mais com os coalas do que os cangurus.

 "Aprende, Dudu, aprende!" Até a próxima!!

Confira Também...

0 comentários