Os Supostos Monstros da Bíblia

Então, existem monstros em diversos monstros em livros religiosos e em mitologias, porem diversos monstros bíblicos atribuídos a bíblia nem mesmo são monstros, veja alguns deles e saiba mais sobre eles, para muitos a bíblia é uma ficção, mas até ela tem suas regras para sua mitologia, então aqui vai diversos monstros que em sua maioria não são monstros segundo a mitologia dela.
Behemoth do livro de Jó 40:15-19, temos um exemplo disso: Deus fala para Jó sobre o Behemoth (ou Beemote), um animal possante e diferente de tudo o que hoje é visto na natureza. Quer dizer, diferente de tudo o que é visto hoje. Observe a "descrição" completa conforme se encontra em Jó 40:15-19, A única informação externa que é certa, a princípio, é que a existência do Behemoth faz parte da cultura Hebraica. Porém, ele é descrito juntamente com vários outros animais que realmente existem ou existiram no Livro de Jó, esses animais são animais pré históricos segundo a cultura judaica de antes do "Homem surgir", porem muitos estudiosos em idiomas antigos sugerem que na verdade ele seja um dos ancestrais das vacas modernas que foi extinto no seculo 17, apesar dessas duas origens, alguns escritores católicos e de ficção fantástica o descrevem como um monstro indestrutível criado por Deus para combater uma ameaça e somente domado por ele.
Resultado de imagem para a primeira besta
No capítulo doze do livro do Apocalipse (Revelações na versão original e na versão Europeia e Americana) e ali é representado Satanás, o grande inimigo e perseguidor do povo de Deus de todos os tempos. Ele é apresentado simbolicamente em forma de um dragão vermelho possuindo sete cabeças com diademas e dez chifres. As sete cabeças com diademas simbolizam sete reinos com autoridade política, cada qual exercendo o seu período de domínio, através dos quais tem operado Satanás para oprimir e destruir os descendentes da humanidade, alguns estudiosos acreditam que são nações que vão existir ou que existiram de maneira simbólica, porem autores de ficção fantástica e alguns escritores católicos como um verdadeiro monstro.
Em Apocalipse (Revelações na versão original e na versão Europeia e Americana) 13:11-18 é apresentada a segunda Besta, ela é descrita como tendo dois chifres (representam duas nações) e fala como um dragão (referencia a Lúcifer ou Satanas ), o seu dever é apresentar falsos milagres, para encorajar as pessoas a adorar a primeira besta, também ajuda a primeira besta a matar pessoas que se recusam a acreditar nela, são normalmente descrita por duas nações ou grupos de pessoas (dois chifres) que falam como dragão ou Lúcifer (pai da mentira ou seja criam mentiras), fazendo falsos milagres para que as pessoas idolatrem a primeira besta ou outros deuses,  ela caça e mata aqueles que não idolatram a primeira besta, é descrita como um grupo que vai surgir para auxiliar no fim dos tempos em favor de Lúcifer e seus anjos caídos ou simplesmente vai ser contra Deus ou Jesus, porem os escritores da ficção e mitologistas católicos criaram ela como um verdadeiro monstro ou demônio gigante e que parece um touro (nada impressionante) ou um anjo caído com cara de touro.
Resultado de imagem
Em Apocalipse 9:11 lemos : E tinham sobre si rei, o anjo do abismo; em hebreu era o seu nome Abadom, e em grego Apoliom, O nome é dado em dois idiomas, e o sentido é o mesmo – Destruição ou Destruidor. Este versículo é o único no Novo Testamento que usa estas palavras. A palavra hebraica aparece algumas vezes no Antigo Testamento em referência à morte e à destruição (veja Jó 26:6; 28:22; 31:12; Salmo 88:11; Provérbios 15:11; 27:20). Deus cria, dá vida, edifica, causa crescimento, etc. O diabo destrói e provoca o sofrimento e a morte neste caso a morte eterna(sem Deus). “Ele foi homicida desde o princípio” (João 8:44).  O primeiro ai passou....vêm ainda dois ais: As últimas três trombetas são os três ais anunciados pela águia (8:13). O primeiro ai – a quinta trombeta – passou. Neste ai percebemos o poder destrutivo do pecado, a arma principal do anjo do poço do abismo. O pecado provoca sofrimento e tormento, mesmo antes dos homens chegarem à morte eterna. Entendendo a quinta trombeta desta maneira, podemos ver aqui os efeitos de decadência, perversão e corrupção que vêm de dentro – uma sociedade pecaminosa se destruindo na iniquidade, nessa época os homens procuraram pela morte física mas não a encontraram até o fim dos dias, nesse caso é apenas Lúcifer ou um General seu que vai usar o pecado como arma na luta final, nada de monstros, porem alguns escritores de ficção escrevem Abadom como um monstro ou general anjo caído que cria monstros com nomes de pecados para atacar a humanidade, bem como alguns escritos de simpatia ou mitologias católicas ou judaicas que não se baseiam nas escrituras, mas sim em crenças populares. 
Os 200 milhões de cavaleiros
Apocalipse 9:13-16: "E tocou o sexto anjo a sua trombeta, e ouvi uma voz que vinha das quatro pontas do altar de ouro, que estava diante de Deus, a qual dizia ao sexto anjo, que tinha a trombeta: Solta os quatro anjos, que estão presos junto ao grande rio Eufrates. E foram soltos os quatro anjos, que estavam preparados para a hora, e dia, e mês, e ano, a fim de matarem a terça parte dos homens. E o número dos exércitos dos cavaleiros era de duzentos milhões; e ouvi o número deles."
Eles nada mais são do que um exercito de anjos caídos (que podem ter realmente ficado visíveis ou não aos humanos), eles serão liderados pelos quatro cavaleiros, apesar dessa explicação simples e obvia muitos escritores de ficção os descrevem como um exercito construído com montarias bizarras como a imagem acima.
Apocalipse 12 - 3 E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas.
Esse dragão é obviamente Lúcifer e os 10 chifres são as 10 nações ou grupos que servirão a ele,  ou possivelmente as 10 maiores nações do mundo que irão servir ao anti cristo, apesar disso muitos escritores de ficção dizem que esse é realmente um monstro que será usado na batalha final ou a forma que Lúcifer ira usar em batalha.
Gênesis 6:4 - Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama
Muitos interpretam os gigantes como homens de grande estatura ou raças humanoides (como por exemplo especies primatas que vivam ao lado da humanidade), os filhos de Deus são assim descritos os descendentes dos outros filhos de Adão e Eva (que tiveram um monte e alguns são descritos na Biblia) com os descendentes de Caim (que em alguns casos são descritos como aqueles que não seguiam a Deus), porem uma grande maioria dos estudiosos dizem que os gigantes eram na verdade os homens de fé ou seja a tribo de homens que adoravam a Deus e a mistura com as tribos que não o adoravam teriam enfraquecido a humanidade, mesmo assim escritores de ficção sugerem que são uma rara raça de meio anjos e até mesmo híbridos alienígenas com humanos.
Leviatã ou Equilão
Livro de Jó, capítulo 40,25. A citação da referida passagem é breve. Vejamos:  “Poderás pescar o Leviatã com anzol e atar-lhe a língua com uma corda? Serás capaz de passar-lhe um junco pelas narinas, ou perfurar-lhe as mandíbulas com um gancho?” (livro de Jó 40,25-26).  Na Idade Média o Leviatã foi considerado como o demônio representante do quinto pecado, a Inveja, também sendo tratado com um dos sete príncipes infernais. Seria por assim dizer um  monstro que se representa sob a forma de crocodilo, segundo a mitologia fenícia. Nas descrições no Antigo Testamento ele é caracterizado com outros animais. Formas como a de dragão marinho, serpente e polvo, as diversas representações dele foi uma das inspirações ao  escritor ateu H.P. Lovecraft os monstros dos mitos de Cthulhu, apesar de Lovecraft desprezar toda as religiões de todos os povos, ele tirava muitas delas inspirações para os seus mitos.

Confira Também...

0 comentários