Cineasta brasileiro produz e dá detalhes do primeiro longa de realidade virtual em 3D

Foi anunciado esta semana que o brasileiro Daniel Bydlowski irá produzir em Los Angeles o primeiro filme de ficção do Brasil e do mundo em realidade virtual 3D, “Nano Éden”. Daniel é doutorando na University of California, em Santa Barbara, nos Estados Unidos. O longa teve as gravações iniciadas na segunda quinzena de outubro, e terá duração aproximada de 65 minutos.


Nano Éden será lançado no segundo semestre de 2017 e é realizado em parceria com a Synaptic VFX, responsável pelos efeitos especiais de vários filmes como Truque de Mestre 2, Homem de Ferro, Hancock e Alice no País das Maravilhas.“A realidade virtual está cada vez mais fazendo sucesso aqui em Los Angeles, está até em Sundance, o festival mais famoso daqui e, claro, em Cannes também. Muitos acham que pode ser o futuro do cinema e do videogame, mas o desafio maior dos produtores é achar a linguagem deste formato”, explica Bydlowski.

O cineasta diz que atualmente os projetos de realidade virtual utilizam várias câmeras capturando 360 graus. Ele acredita que é uma alternativa válida como "experiência" para documentários que queiram filmar de modo passivo tudo que está ao redor, mas este tipo de produção não só deixa o projeto mais caro porque precisa de muitas câmeras e memória, mas também faz o espectador perder o foco: “Neste projeto, vamos fazer diferente. Iremos utilizar somente uma ou duas câmeras para capturar cada trecho dos 360 graus separadamente e com mais controle. Animação e efeitos especiais serão usados para fazer o "stitching" de uma câmera para outra. Acho que é um modo muito mais vantajoso para diretores que gostam de ter mais controle sobre sua história”, revelaDepois que a produção estiver completa, o cineasta poderá gravar partes do mundo virtual e transforma-lo em um filme tradicional em tela de cinema 2D ou ainda 3D de maneira eficaz.

A história do é baseada na vida do casal Harriet e Peter, que assinam um contrato quando estão para morrer onde terão seus cérebros codificados e baixados num computador, lugar em que serão felizes para sempre. O problema é que, para serem realmente felizes, os cientistas apagam varias memórias, inclusive a de que estão mortos. Os dois passarão por vários desafios até descobrirem sua real situação e uma saída. O longa trará uma reflexão e alerta contra a fé absoluta no computador. O elenco conta com atores como Scott Allen Rinker, conhecido por seu trabalho na série Star Trek Enterprise, e Jerome Charvet, que já trabalhou ao lado de Gerárd Depardieu e Jean Reno. A direção de fotografia e efeitos especiais é de Shant Jordan, responsável pelos efeitos visuais do filme O Dia Depois de Amanhã
Fonte: Press Release
guest author area 51  Gisele Henriques
Administradora com MBA em Administração e Marketing, contabilista, jornalista, desenhista, locutora, podcaster, professora e graduanda em Artes, é uma criatura de extrema modéstia. É mãe de gatos imaginários. Twitter / Facebook