Opnião - A necessidade de nomear o melhor


A questão é simples - Quem é o melhor ? O porém é ... qual a necessidade ? Se você é do tipo que briga para defender 'o melhor naquilo que faz' - confere o post.

Em algum momento da vida você já fez uso ou viu alguém fazer, do que discutiremos nesse post. Afinal em cada canto do planeta, o que mais encontramos é pessoas defendendo argumentos e acirrando disputas que muitas vezes elas mesmo criam. A questão é simples... Quem é o melhor ?
O melhor jogador da atualidade, ou o melhor da última década, ou o melhor de todos os tempos ?
Qual a melhor Editora ? O melhor filme ? O melhor ator ?


Porque sentimos a necessidade de criar um símbolo de 'perfeição' dentro de uma área que gostamos ? No âmbito NERD isso não tem diferenças,quiçá é até mais ferrenho. Existe sempre a necessidade de além de admirar o trabalho de um artista, o colocar em um 'hall' ou 'ranking' que o classifica como superior.  Não é difícil notarmos as acaloradas discussões ao longo dos últimos anos, sobre quem é o melhor roteirista de HQs de todos os tempos. Pulam os defensores de Alan Moore, remoem-se os ativistas pró Grant Morrison, dilatam as pupilas dos fãs de Neil Gaiman ... e agora novos nomes como o de Mark Millar ou Michael Bendis surgem com a alcunha de 'o GRANDE roteirista da última década'.
Entendam, essas palavras não devem soar como menosprezo a nenhum desses autores, essenciais para o amadurecimento da mídia em questão. Porém, não difere da questão central, temos que continuamente nomear o 'mais forte', o número 1 ? E porque só mencionamos um nicho da mídia que é mais popular ? Moebius por exemplo é desconsiderado por não fazer quadrinhos de heróis ?


Quando crianças, temos uma necessidade psicológica de idolatrar alguém. Por referência familiar, geralmente nossos pais, o que não é uma regra. Pode ser o seu irmão, um grande amigo, um cantor pop, um escritor, um quadrinista, um super-herói. O apego a idolatria pode ser tão forte, que em casos mais extremos o fã passa a ter ilusões com o ídolo, e não é difícil lembrarmos de casos como o de John Lennon.
Nas brincadeiras a criança quer ter destaque, nas escolhas de personagem quer ser o líder do desenho do momento (eu não lembro de ninguém querendo ser o Shun de CDZ, ou o Yamcha de DB - não que não fossem bons personagens). Mas essa questão parece estar ligada a muito mais temas que nos cerceiam que pudemos perceber. No esporte, como não lembrarmos das Olimpíadas - que coroa o melhor desportista de sua área? Ou mesmo na disputa em sala de aula pela melhor nota? Em almejarmos termos um nome que estará no topo e claro seja o de nossa escolha.

E ai entramos em outra reflexão sobre, as preferências e experiencias de um indivíduo obviamente o influenciam em uma escolha, pois isso é a base de seus argumentos e critérios. É claro que existe técnica, e pessoas adequadas para avaliar isso. Um filme para ser considerado melhor que outro teoricamente teria que tecnicamente (fotografia, roteiro, direção e etc) ser melhor que o concorrente. Isso não significa que este será o melhor filme a todos. Voltando ao exemplo, quem viu Maradona jogar futebol e não Pelé tem propensão a curtir mas o argentino, vide a euforia de ser contemporâneo a ele. Da mesma forma como eu particularmente tenho em minha mente que o Ronaldinho foi o 'melhor' jogador que vi atuar se tivesse que nomear um. Isso porque em meus critérios pessoais o colocam nesse nível, o que não significa que o Messi não seja tão bom quanto. Alias é assim que percebemos a necessidade das comparações, ambos são atletas do mesmo esporte, vestiram a mesma camisa e alegraram a mesma torcida. Ninguém pensa em dizer ambos à seu modo são incríveis, e sim, Messi ou Ronaldinho ?



Parando para pensar nisso e nas comparações - Alan Moore ou Grant Morrison ? Mark Millar ou Warren Ellis ?
Percebo agora que não há essa necessidade, ela é vazia, Alan Moore é Alan Moore é o melhor dele mesmo - li e gostei ou não de muitas obras dele - digo o mesmo de Grant Morrison, Neil Gaiman, Frank Miller e etc. Se esquecermos todos os argumentos que montamos para defender nossas próprias ideias ( Morrison é mais regular - Miller está velho e gagá - Gaiman só escreveu Sandman e etc) vamos ver que no fim, existem autores e autores ótimos que nem são mencionados pelo simples fato de querermos acompanhar a velha onda de ser o primeiro da turma.