Conto: Na Floresta Escura - Capítulo 7

Capítulo 7 - Isabel

Vaughan cortou alguns pelos do monstro e os segurou em suas mãos. Caminhou até a jovem aterrorizada. A cada passo ela se arrastava no chão até parar em uma árvore. Vaughan parou na frente dela. Olhando-a fixamente nos olhos. Falou:

-Como se chama?

Chorava muito. Tinha, claramente, medo de Vaughan. Tremidamente respondeu:

-I...Isabel...

Vaughan continuou:

-Como veio parar aqui?

-Eu moro aqui desde que nasci... 

Vaughan mantinha seus olhos nela.

-Eu moro num vilarejo... que fica acima daquele lago... vários metros. - jovem soluçava

-Por que nos traiu?


Ela chorou profundamente. Ainda havia desespero em seu olhar. Vaughan estendeu a mão sobre a jovem e a abriu, deixando cair, assim, os pelos da criatura sobre ela, no que chorou mais ainda. Falou:

-Homens. Parece que nesta floresta vamos ficar algum tempo sem mulher alguma. Então desfrutem desta o máximo que puderem. - se virou e quando ia andando ela gritou:

-Não! Por favor! Eu conto tudo! Tudo! A rapoza era minha! \Eu a criei desde filhote! Ela precisava se alimentar! Ela... ela precisava de comida! Vocês provavelmente vão morrer nesta floresta mais cedo ou mais tarde! Eu só queria usá-los para alimentá-la! Pr favor! Eu imploro! Não façam nada comig...

Antes que pudesse concluir sua frase a espada de Vaughan estava colada ao seu pescoço. Ele havia se virado novamente para ela e gritava:

-Ia nos usar para alimentar este monstro? Ia nos usar como ração? Era isso o que ia fazer? Sua desgraçada! Você é louca? Dê um maldito javali para esta besta, mas vidas humanas? Não merece viver!

Os outros homens olhavam  a cena e riam entre si do pavor da jovem. Wallace sugeriu:

-Não vamos matá-la, Vaughan. Podemos levá-la conosco e usá-la em algum momento, talvez como isca.

Ele deixou a ira ser silenciada por este conselho. Se virou, embanhou a espada e caminhou na direção do corpo da rapoza. Pediu a um deles que a amarrasem e a amordaçassem para que pudessem levá-la. Falou:

-Pelo menos vamos ter o que comer.

Não se pode dizer que passaram a noite, pois não há como saber se era noite. Mas passaram muitas horas.  Fizeram fogo e se alimentaram da carne da raposa. Obrigaram a jovem a dizer várias vezes a localização exata do vilarejo onde mora. Ela era sua prisioneira. E ainda era tentadora. Apesar da oportunidade, nenhum deles encostou um único dedo nela. Não a violentariam e sabiam que a ordem de Vaughan para "desfrutá-la" era apenas a cargo de pressão para que falasse. Embora, como já dito, ela ainda fosse tentadora. Descansaram o suficiente e estavam prontos, após o sono devidamente vigiado por um deles por turno, e poderiam seguir. Agora criam ter mais chances de sair da floresta. Se levantaram Prepararam tudo e seguiram em sua jornada.

Estavam confiantes de que logo estariam em casa. Assim, se seguiam os passos na floresta escura.

Continua...

Confira Também...

0 comentários