Conto: Na Floresta Escura - Capítulo 10

Capítulo 10 - Comunicação 

Continuaram sua caminhada floresta adentro. Agora tinham certeza de que chegariam à base dos sequestradores. A espada de Wallace se mantinha sempre pronta para punir qualquer traição daquele nativo. Vaughan não sabia se fazia o certo. Estaria fazendo o correto ao obrigar aquela criatura a levá-los ao seu líder ou deveria fazê-la levá-los imediatamente à saída da floresta? De qualquer forma, caminharam. Ainda era escuro demais para ser otimista. Seus passos continuavam em meio à muitos galhos caídos no chão, folhas, buracos. Todos sentiam falta do lar. Não sabiam há quantos dias estavam ali. Dormiram algumas vezes por algumas horas, mas não tinham mais a noção ecata de quanto tempo estavam perdidos ali. Suas belas casas, com suas belas mulheres (exceto talvez a de Ariosto, que não parecia tão bela assim) e seus filhos nunca lhes fizeram tanta falta, mesmo se lembranbdo das guerras nas quais já haviam estado ou as aventuras em que haviam se embrenhado, oque lhes tinha tomado muitos meses. Repentinamente, Ariosto puxou o braço de Vaughan para lhe chamar a atenção. Ele apontou para o lado esquerdo. Após as árvores haviam dois daqueles seres, em vigilância (um pouco sonolenta, notaram), sentados aos pés de duas outras duas árvores. Vaughan falou: 

-Certifiquem-se de que ele não faça nenhum som para chamar atenção daqueles dois. Vamos manter o caminho e passar despercebidos. Se estão em seus postos, significa que estamos chegando perto de sua base. 

Todos seguiram, em silêncio. Conforme passavam, viam mais daqueles homens em meio à floresta e tinham certeza que estavam cada vez mais próximos. O ser que era seu refém exibia olhares esperançosos de ser visto por algum de sua raça e,assim, ser salvo. Mas nada aconteceu. Continuou preso. Um guia sem escolha em meio à escuridão. Continuaram. Após algum tempo, Vaughan sentiu Ariosto puxar seu braço novamente. Mas ele já sabia do que se tratava. Um enorme muro feito com troncos árvores estava à sua frente. Se perguntaram como poderiam passar. Vaughan tinha um plano. 

-Se preparem. Vamos escalar. -falou Vaughan, em tom muito baixo.

-Vaughan, essas criaturas devem estar vigiando cada centímetro deste lugar. Eles nos verão. -falou Lamar, assustado com a idéia de apenas quatro homens invadirem  uma base inimiga.

-Quanto à vigilância, tenho a solução. Só estejam prontos para escalar e sejam rápidos em cada movimento. Se o inimigo nos vir, acionará todos desta maldita base. 

Cerca de 20 minutos depois, o silêncio nos portões que existiam naquele muro foi quebrado. O prisioneiro de Vaughan entrara na vila gritando. Em seu rosto, uma venda o impedia de enxergar. Sua língua haviasido cortada e por isso não conseguia emitir palavras em seu idioma. Enquanto a criatura chamava a atenção necessária para ocultar uma forte cachoeira, os quatro bravos escalavam o muro. Lá de cima, podiam ver a base dos sequestradores.

Continua...

Confira Também...

0 comentários