Header Ads

test

A Morte de Stalin - (review do filme censurado na Russia)

Ator Jason Isaacs no papel do general rebaixado Jukov, em cena de A morte de Stalin
Governo Russo considerou comedia que faz piada com o ditador Stalin como "ofensiva" e a proibiu de ser exibida no país.
Censurada na Rússia, sátira sobre os últimos dias do líder russo e a subsequente disputa de sucessão chega às salas da Alemanha. E reaviva o debate: é admissível rir hoje em dia?

Lavrenti Beria (Simon Russel Beale, esq.) é o homem mais poderoso da Rússia em 1953, enquanto Georgi Malenkov (Jeffrey Tambor) não passa de uma marionete
Como conta o próprio diretor, ele visou mais do que uma comédia-pastelão com piadas inconsequentes. "Acho que em comédia vale a regra: quanto mais acontecimentos autênticos e detalhes você insere, mais cômico é." E mais ainda o público vai se perguntar se a coisa realmente aconteceu, e concluir que a resposta é: "Sim, isso pode realmente ter acontecido. Dessa forma, os espectadores ganham acesso à história."
Estamos no ano de 1953. A ditadura Stalin faz vítimas diariamente. Quem não anda cem por cento na linha é preso, sequestrado, assassinado. Isso, ninguém quer arriscar, nem mesmo os perplexps espectadores e músicos na sala de concertos. Não se provoca um ditador.
A morte de Stalin  é uma maldosa sátira política sobre um dos mais brutais reinos de terror do século 20. Um filme baseado em fatos historicamente comprovados, que os apresenta de forma apenas levemente alterada, entrelaçando, assim, de maneira genial, história e comédia, documentário e grotesco.
Por trás do filme, além de autores, produtores e um elenco fantástico, está o cineasta escocês Armando Iannucci. "Quanto mais se descobre sobre esses acontecimentos reais, mais eles se parecem uma farsa", comenta o especialista em sátiras políticas, responsável, entre outras, pela série Veep, premiada com vários Emmys, que retrata o dia a dia de um vice-presidente dos Estados Unidos.
O filme é hilario e acurado ao demonstrar toda a insanidade da época especialmente relativas ao ditador Stalin, ainda consegue ser engraçado, mas com a proibição da Russa fica a pergunta podemos rir de ditadores do passado ou figuras históricas ou isso virou "politicamente incorreto"?
guest author area 51  Questão

Profundo conhecedor da cultura pop, fã de conspirações/mitos e lendas é o principal meio de arranjar uma treta com famosos e pseudo-famosos da web.. Twitter / Facebook