Certo, tenho 26 anos e estou lendo Pokémon

Tá pra nascer coisa mais carismática para as crianças do que Pokémon. Sim, Cavaleiros do Zodíaco foi o grande responsável pela explosão de animes e aquela história toda que a gente já conhece, mas Pokémon é capaz de, com o perdão do trocadalho, te capturar na hora. Cores vibrantes, bichos engraçadinhos e aventura protagonizada por um garoto. É a fórmula do sucesso para a molecada. Os adultos não são bem o público alvo do anime, mas não conseguimos escapar dessas criaturas. Os jogos. Sim, os jogos! Saudosas tardes jogando Pokémon Silver, minha versão preferida, Red, Green trazida diretamente do Japão... Blue, trazida diretamente do Paraguai... haha Bons tempos!



O anime já não tem seu encanto pra mim há um bom tempo, mas de vez em quando eu parava pra saber a quantas andavam a série e, puts, que coisa horrível. O anime mais carismático do mundo ficou chato pra cacete, a não ser, talvez pelos longa-metragens, que assisti recentemente (baixei pro sobrinho da minha mulher e acabei assistindo), esses sim, valem a pena, em sua maioria. Nada genial, apenas um desenho divertido.Certo, a série de TV está terrível, os filmes ainda dão um caldo e os mangás... aaah, verdade, tem um mangá de Pokémon! Ele chegou a sair no Brasil em formato americano quando o anime começou seu sucesso, mas desapareceu. Fui atrás na internet e achei todas as edições até a mais recente. Cara, que mangá divertido da porra!

Eu conheço dezenas de casos de adultos que leem Turma da Mônica regularmente, como hábito mesmo. Eu gosto muito, mas não tem apelo pra mim, sério. Assim, eu sei que é infantil, eu sei quem é o público alvo de Mônica, mas tem produtos que conseguem focar um grupo e ainda assim atingir outro. Não é meu caso com a Turma, embora eu a adore desde sempre e seja mais um daqueles casos que aprenderem a ler com a professora Mônica. Mas Pokémon... foi diferente. Eu me senti criança de novo. Sem preocupações por alguns instantes de volta aos meus tempos de moleque encapetado.

O mangá é ágil. Em que sentido? Em apresentar e resolver fatos. Ok, se a situação fosse em qualquer outro mangá, isso seria um problema, mas nesse caso, é um presente. O mangá desenvolve tudo de forma suave, leve, rápida, sem aprofundar, porém dando as informações que precisamos para nos divertirmos. Ele se baseia na história do jogo original e, assim como o anime, suas fases acompanham os lançamentos dos jogos. A versão Black & White, que eu não faço a menor ideia de quando saiu o jogo, é a que está sendo publicada pela Panini atualmente no Brasil, mas li umas opiniões dizendo que ela é mais infantil e tals. Bom, eu não tive paciência de jogar os jogos depois da versão Cristal, então certamente não vou ler o mangá depois da equivalente Johto. Talvez eu corra atrás para o pequeno Ícaro quando ele estiver um pouco maior.

O fato é que hoje em dia a variedade de coisas que você pode gastar seu tempo lendo, quando se trata de mangás e comics, é muito grande. Tem muita coisa boa, tem muita coisa ruim, mas sabe o que é mais difícil de achar do que um bom mangá? Uma coisa que te prenda. Que te capture. Que te divirta. Não é o mangá mais adulto e sério do mundo, mas na boa, eu só tô a fim de me divertir. É isso o que eu vou ler. Pokémon, eu escolho você!

Confira Também...

0 comentários